Ecosul reforça recuperação de vias danificadas em Rio Grande e Pelotas

Nos últimos dias, a Ecosul doou material asfáltico e cedeu mão de obra às duas prefeituras para intervenções em estradas e avenidas dos municípios. (Foto: Divulgação)

Diante das recentes adversidades enfrentadas pelo Rio Grande do Sul, a solidariedade e a união se destacam como pilares fundamentais para a reconstrução e a recuperação do Estado. Nesse contexto desafiador, a Ecosul tem atuado para reforçar a parceria da iniciativa privada com os órgãos públicos. Além do apoio financeiro, a concessionária tem atuado junto às prefeituras de Pelotas e de Rio Grande para agilizar a recuperação de vias e de acessos importantes nos municípios.

Nos últimos dias, a Ecosul doou material asfáltico e cedeu mão de obra às duas prefeituras para intervenções em estradas e avenidas dos municípios. Equipes completas de engenharia auxiliam na execução do trabalho de reconstrução e na manutenção das vias públicas prejudicadas pelo excesso de chuvas e pelo tráfego de veículos pesados.

No fim da semana passada, o foco se voltou ao acesso ao Porto de Rio Grande, na avenida Honório Bicalho. Doze profissionais, equipados com um caminhão rolon, uma mini carregadeira (fresadora, concha e vassoura), um rolo compactador, dois arados de arraste, um soprador e um caminhão, realizaram reparos na avenida com 12 toneladas de concreto asfáltico. “Esse material, de alta qualidade, é normalmente utilizado nos trabalhos de pavimentação das BRs sob administração da Ecosul”, explica o coordenador de Obras da empresa, Márcio Joaquim Santos.

O prefeito de Rio Grande, Fábio Branco (MDB), reconhece a ajuda da Ecosul na obra desse trecho e destaca a importância do suporte contínuo enquanto a situação das enchentes persiste. “A gente agradece a ajuda. Ainda não sabemos o que pode acontecer enquanto as águas estão aí, mas solicitaremos o que precisarmos para que a gente consiga reerguer e recuperar o município assim que as águas deixarem” , antecipou, diante da disponibilização, pela concessionária, da estrutura que for necessária à cidade portuária.

Em Pelotas, além dos reparos realizados semana passada nas avenidas Adolfo Fetter e Ferreira Viana, a Ecosul atua junto à Secretaria de Obras para garantir trafegabilidade na Estrada da Galatéia, único caminho de acesso à Colônia de Pescadores Z-3, um dos locais mais atingidos pela cheia da Lagoa dos Patos no município. O trabalho de recuperação da estrada começou na sexta-feira (17) e segue nesta semana.

“Estamos conseguindo fazer muitas pequenas ações que dão uma desafogada nas prefeituras, permitindo que elas tenham foco em outras ações importantes para gerir essa crise e para atender as demandas dos atingidos e dos desabrigados”, esclarece o diretor superintendente da Ecosul, Fabiano Medeiros.

Até o momento, 10 cargas de pedra rachão e mais 9 cargas de rejeito de asfalto foram usadas na manutenção da estrada, para permitir que caminhões-pipa com água potável, militares do Exército e voluntários possam continuar acessando e prestando auxílio à colônia de pescadores, onde 44 famílias, totalizando 153 pessoas, estão abrigadas no Salão Paroquial João Paulo II. Também para a prefeitura de Pelotas foram doadas 18 cargas de brita para a usina de asfalto da cidade.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome