Demanda de produtores de leite de Morro Redondo é apresentada à Coopar/Pomerano

Reunião ocorreu entre produtores, representantes do município e da Coopar (Foto: Diones Forlan/JTR)

Em reunião realizada no núcleo de agricultores da Reserva, da Associação de Desenvolvimento Comunitário dos Produtores Rurais de Morro Redondo (ADCPR), na Escola Conde de Afonso Celso, atendendo uma necessidade da região de obter mais informações sobre ajustes na rota do leite e as Normativas 76 e 77, o escritório municipal da Emater/RS-ASCAR buscou os técnicos da Cooperativa Mista dos Pequenos Agricultores da Região Sul Ltda. (Coopar/Pomerano), de São Lourenço do Sul, para conversar sobre esses assuntos.

Além da presença do secretário de Desenvolvimento Rural e Turismo, Flávio Almeida, e da extensionista rural Adriane Lobo, que acompanham esse núcleo e dos agricultores dessa localidade, também o presidente da Coopar, Nildo Rutz, junto dos técnicos Diego Maass e Mateus Maass e o veterinário da Distribuidora, Indústria e Comércio Ltda. (Dispra), empresa fornecedora de insumos, Vener Einz.

Os técnicos e o veterinário fizeram explanações sobre o processo correto de limpeza dos equipamentos utilizados na ordenha e resfriamento, bem como o manejo da ordenha que visam à qualidade do leite.

Foi também esclarecido aos produtores os ajustes que estão sendo feitos na rota. A rota que engloba os produtores da região é a 25, que atende 37 propriedades. Uma das questões detalhadas foi sobre a política de preços praticada pela Coopar, no que diz respeito ao pagamento do leite e as bonificações.

O pagamento varia de R$ 1,06 para produtores de até três mil litros/mês e até R$ 1,40 para produtores acima de 45 mil litros/mês. Além desse valor as bonificações podem atingir até R$ 0,09 a mais por litro, que variam conforme os índices de Contagem de Células Somáticas (CCS), Contagem de Bactérias Totais (CBT), gordura, resfriador a granel e sanidade (teste de tuberculose).

Para Adriane, a importância da reunião diz respeito à novidade das Normativas, que entraram em vigor recentemente e para as quais os agricultores ainda estão se ajustando. Já Almeida reforça que é compromisso do poder público viabilizar o acesso às propriedades pelo transportador e se comprometeu de buscar atender essa necessidade. Por fim, o presidente da Coopar se diz muito satisfeito de estar próximo aos agricultores, conhecer suas realidades e ouvir suas demandas.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome