Morro Redondo: Relevância histórica e econômica do doce é tema do III Seminário da Tradição Doceira

O seminário é aberto ao público e será realizado no Centro Cultural de Eventos Valdino Krause. (Foto: Divulgação)

Em alusão à Semana do Pa­trimônio Imaterial Doceiro de Morro Redondo, produtores, fa­mílias tradicionais de doceiros, comunidade acadêmica e insti­tuições irão discutir pelo terceiro ano consecutivo a legitimidade e a importância da cultura do­ceira no que diz respeito a sua relevância histórica e também a importância econômica da ativi­dade que fez o município se tor­nar reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como patrimô­nio imaterial do Brasil através da tradição doceira.

O encontro será realizado no dia 6 de julho e nasceu após a aprovação da Lei Municipal de autoria da vereadora Letícia San­tos (PSDB), em um estudo feito em parceria com a extensionis­ta da Emater de Morro Redondo, Adriane Lobo, o antropólogo Da­niel Vaz, e a vice-prefeita Angé­lica Boettge dos Santos (PSDB), que articulou as ações junto ao Iphan, em 2018.

Para Adriane, o seminário tem a importância de manter a tradi­ção viva, relembrando histórias e trazendo as inovações que acon­tecem no tempo: “O patrimônio é algo vivo, então, precisamos estar sempre conversando sobre ele para que se mantenha aceso na comunidade”, comentou.

Já a vereadora Letícia destaca que o encontro é um momento muito importante e especial não só para os doceiros do município, mas para todos que atuam e de­fendem a manutenção da ativi­dade doceira para a conservação não apenas do patrimônio como também da vida econômica e so­cial de tantas famílias que duran­te muito tempo tiraram seu sus­tento dessa cultura.

O seminário é aberto ao pú­blico e será realizado no Centro Cultural de Eventos Valdino Krau­se, a partir das 9h. Informações podem ser obtidas através do WhatsApp (53) 98479-3605 ou (53) 98141-4971.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome