Morro Redondo: Plano Municipal de Turismo é discutido com diversos segmentos da comunidade

Diversos segmentos da comunidade estiveram representados em reunião (Foto: Diones Forlan/JTR)

Recentemente, a Prefeitura de Morro Redondo firmou um convênio com o Sebrae, que oportuniza – através do projeto Cooperação e Governança (Coopergov), gerido por Jussara Argoud – realizar oficinas e apoiar a criação do Plano Municipal de Turismo. Discutido no dia 25 de julho, no prédio da Câmara de Vereadores, o plano contou com diversos representantes de segmentos da comunidade, como o prefeito Diocélio Jaeckel (PTB), ex-prefeito Rui Brizolara (DEM), secretário de Desenvolvimento Rural e Turismo, Flávio Almeida, secretário de Educação, Cultura e Desporto, Anderson Güths (Teko), presidente da Câmara, Silvia Wahast Islabão (DEM), os vereadores Márcio Zanetti (DEM), Thiarles Schneider (PT) e Marcos Pereira (PTB), a assessora do deputado estadual Pedro Pereira (PSDB), Angélica dos Santos, Escritório Municipal da Emater/RS-Ascar, Sebrae, Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Associação dos Empreendedores do Roteiro Morro de Amores, o Conselho Municipal de Turismo, agência Morro de Amores Receptivo, Museu de Morro Redondo, comunidade Quilombola Vó Ernestina, entre outros.
Aproveitando a estada no município, a consultora de Turismo, Ivane Fávero, comentou que esta oficina realizada elencou, através da análise de grupos divididos entre os quatro eixos do plano que envolve infraestrutura, turismo, marketing e eventos, as forças, fraquezas, ameaças e oportunidades, além de invocar um plano de ações para os próximos quatro anos que criará a identidade turística do município.
Agora, dentro de um mês o que foi apontado será colocado no plano e enviado pelo Sebrae ao Executivo e, posteriormente, irá para aprovação do Conselho Municipal de Turismo e para aprovação do Legislativo. Por fim, sendo aprovado se tornará lei resguardando a continuidade das ações.
Dentre os pontos que elevam o município para ser um local procurado pelos turistas, foi apontado pelos participantes: qualidade de vida, tranquilidade (segurança), cultura colonial diversa, descanso, lugares para fotografia, arroios, simplicidade, experiências rurais, culinária rural, artesanatos e produtos coloniais de qualidade, acolhedor, serra do sul, natureza, cultura típica com diversidade, fácil acesso e proximidade de grandes cidades, topografia, dentre outros.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome