A valorização dos motoristas da área da saúde

Bohlke lembra o apoio dado aos pacientes pelos motoristas da área da saúde. (Foto: Divulgação)

Motorista, uma profissão pouco valorizada, mas de grande valia pois, sem eles, não teríamos comida em nossas casas e não conseguiríamos nos deslocar para outros locais.
Pensando nisso, a reportagem do Jornal Tradição Regional realizou uma entrevista com um dos profissionais da área da saúde, o motorista Anselmo André Altenburg Bohlke, que há quase doze anos tem uma grande responsabilidade em suas mãos: ajudar a salvar vidas.
Valorizar este profissional é compreender a função social de um agente público que necessita de sensibilidade, competência, mas também de reconhecimento social.

Bohlke diz que escolheu a profissão pois necessitava se sentir útil à população de sua cidade. “Somos nós que, muitas vezes, acolhemos e damos as primeiras palavras de apoio, carinho, consolo, porque, às vezes, o paciente vai sozinho consultar em outras cidades e nem sempre as notícias que recebem do médico são as esperadas”, disse Bohlke.

Quanto aos desafios, ele garante que são muitos. Antes de tudo, é preciso gostar da profissão. “Temos que ter muita paciência, pois lidamos diariamente com vidas”, contou o motorista.

Quanto ao salário, Bohlke ressalta que está na média. O que falta, segundo ele, é um piso nacional para os motoristas da categoria.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome