Santa Casa de Jaguarão comemora 160 anos no município

Fundada em 15 de maio de 1862, a Santa Casa de Caridade tinha o objetivo de prestar serviço à comunidade local, aos pobres e necessitados. Hoje, é um hospital com capacidade para atender, além de Jaguarão, a microrregião Sul do Estado. (Foto: Clomar Júnior)

Juliana Lima 

Em 15 de maio de 1862, teve início uma história de grande orgulho para os jaguarenses: a fundação da Santa Casa de Caridade. Há 160 anos, a instituição vem prestando serviços para a população do município e da região.

O hospital é uma entidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos. Na época de sua fundação, a Santa Casa era menor, e tinha o objetivo de prestar serviço à comunidade local, aos pobres e necessitados. Hoje, é um hospital com capacidade para atender, além de Jaguarão, a microrregião Sul do estado, limítrofe com o Uruguai, prestando também, serviços aos moradores do país vizinho.

A população coberta pelos atendimentos é de, aproximadamente, 85 mil habitantes, com demanda espontânea e encaminhamentos de postos de saúde da rede pública e das cidades vizinhas. A Santa Casa é o único hospital do município e mais de 90% dos atendimentos são realizados através do Sistema Único de Saúde (SUS), absorvendo, em determinadas especialidades, a demanda dos municípios de Arroio Grande, Herval, Pedras Altas, Cerrito, Arroio do Padre, Morro Redondo, Pedro Osório, Capão do Leão, Pinheiro Machado e Piratini. A maioria dessas cidades utilizam os serviços de raio-x, mamografia e obstetrícia.

O hospital trabalha com prestação de serviços hospitalares de internação e serviço de diagnóstico por meio de convênios, além de pacientes particulares e pacotes.

Para o prefeito e interventor da Santa Casa, Rogério Cruz (MDB), o hospital e a saúde dos munícipes sempre foram tratados com muito respeito e dedicação. Ele destaca que, enquanto ocupou a cadeira de secretário de Saúde, trabalhou incansavelmente para que todos tivessem um atendimento digno e de qualidade e que agora, como prefeito, não poderia ser diferente. “Uma das coisas que mais me orgulha hoje é poder entregar para a comunidade serviços e equipamentos de alta qualidade, fazendo com que hoje a nossa Santa Casa seja respeitada em toda a região Sul. Como prova disso, recebemos há pouco a visita da secretária de Saúde do Estado, Arita Bergmann, que muito elogiou o atendimento. Importante frisar para as pessoas, que é necessário fazer um divisor de águas entre o que é a instituição hoje em relação ao que passou há alguns anos. Nunca esquecendo que os 160 anos dela foram de luta e trabalho em prol da comunidade”, disse.

Prefeito Rogério Cruz (MDB) destacou a história e o trabalho realizado pela instituição. (Foto: Divulgação)

Avanços e melhorias para continuar a história

Desde sua fundação até hoje, a Santa Casa, vem conquistando melhorias, além de reformas na fachada, no Pronto Socorro e na entrada do Hospital.

Em março, a instituição inaugurou o Centro Cirúrgico. A estrutura possui duas novas salas cirúrgicas e uma de cirurgia oftalmológica. A maternidade conta com 14 leitos de ginecologia e obstetrícia. Além disso, há um Centro de Imagem operando setores de raio-x, mamografia e ultrassonografia, e que passou a ter um tomógrafo.

A instituição ainda foi beneficiada com um incremento de 64% nos incentivos estaduais por meio do programa Assistir, passando de um contrato com o governo do Estado de R$ 1,3 milhão para R$ 2,1 milhões por ano. As especialidades abrangidas pelo Assistir na instituição são maternidade de risco habitual, porta de entrada de urgência e emergência, leitos de Saúde Mental, além de um ambulatório de cirurgia geral.

O Hospital também foi beneficiado com o programa Cirurgia+ com recursos para a execução de 2.040 cirurgias eletivas nas especialidades de otorrinolaringologia, cirurgia geral, traumato-ortopedia, ginecologia e urologia. A previsão é de repasse de R$ 4,5 milhões para diminuir a fila de espera por procedimentos e toda a linha de cuidado (que inclui consultas e exames necessários) que foram acumulados em decorrência da pandemia.

Desde a primeira semana de maio, o hospital também passou a oferecer exames de eletroesforço – ou testes ergométricos, tanto por meio do SUS quanto por atendimentos particulares. A ação deve contribuir com os diagnósticos de doenças cardíacas, tais como coronariopatia, arritmias, hipertensão ou insuficiência cardíaca. Os testes ocorrem nas terças e quintas-feiras, pela manhã, com agendamento prévio.

Outra novidade é a construção do necrotério, uma estrutura de 120 m² contendo duas salas de procedimentos, um escritório para atendimento, banheiro com acessibilidade para cadeirantes e garagem para veículos em serviço. O novo espaço dará conforto e segurança aos familiares e aos trabalhadores.

Necrotério é uma das obras que prevem melhorar a estrutura do hospital. (Foto: Clomar Júnior)

*Com informações da Assessoria de Imprensa

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome