Prédio histórico de Jaguarão corre risco de desabamento

Escola Estadual Carlos Alberto Ribas enfrenta dificuldades desde 2016 (Foto: Divulgação)

Desde 2016, a Escola Estadual Carlos Alberto Ribas passa por dificuldades para seguir funcionando devido à interdição do prédio. Construído em 1910 por padres belgas e localizado no Centro Histórico de Jaguarão, o local é considerado patrimônio pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e encontra-se com problemas no telhado e parte lateral, com risco de desabamento.

Segundo a diretora da escola, Eliane de Andrade Farias, a interdição foi solicitada pela promotora Cláudia Pegoraro, que atuava na época. “Fomos notificados no dia 23 de junho de 2016, já no dia 24 suspendemos as aulas e começamos a desocupar o prédio”, disse.

Quanto à mudança de local, Eliane garante que o educandário foi muito prejudicado. “Hoje, estamos em uma casa, alugada pelo Estado, mas sem condições de se instalar uma escola. Possuímos apenas três salas de aulas que são divididas entre os alunos do Ensino Médio e Fundamental. Em uma delas com capacidade para 18 alunos, nós colocamos 30”, explicou.
Para o professor Jáqueson Urtassum da Silva, a interdição mexeu com toda a comunidade escolar. “Ficamos muito assustados na época, pois eram 570 alunos sem ter onde estudar. A locação do prédio atual seria uma medida provisória, porém, infelizmente, estamos até hoje nesse local, com muitas dificuldades, tanto para o quadro de funcionários, quanto para os alunos”, comentou.

A presidente do Conselho de Pais e Mestres, Janaína Teixeira, ressaltou que todos moradores possuem uma boa memória afetiva do prédio. “Eu estudei lá e hoje tenho dois filhos na escola e por essa razão me preocupa muito com a situação calamitosa em que se encontra o prédio. Espero que alguma medida imediata seja feita, para que outras gerações possam desfrutar de uma tão bela e estruturada escola”, afirmou.

Em 2017, foi iniciado um trabalho junto aos órgãos do Estado para sanar a situação. No primeiro momento, foi firmado um acordo de parceria com o governo estadual, para ser montado um projeto, sendo que o Estado não teve ônus durante todo o processo. Nesse período, o gabinete do vice-prefeito Henrique Edmar Knorr Filho realizou tratativas para solucionar o problema.

Na última semana, a infraestrutura do local voltou a ser pauta, pois a Prefeitura interditou a rua onde fica o imóvel com a justificativa que o mesmo corre riscos de desabar.

Ações realizadas para a reestruturação do prédio:
12/12/2018: A Prefeitura de Jaguarão firmou o Termo de Cooperação nº 001/2018 do Programa “Escola Melhor, Sociedade Melhor”, da Secretaria Estadual de Educação, para a elaboração do projeto arquitetônico executivo de restauro do telhado do prédio.
05/02/2019: No dia 05 de fevereiro de 2019, a Prefeitura encaminhou para o Iphan via ofício nº 17/2019/SPU a solicitação para a obra emergencial da cobertura do prédio.
18/02/2019: O Parecer Técnico nº 20/2019/COTEC Iphan-RS autorizava obra emergencial. Reparos no telhado com a recolocação de telhas e madeiramento com uma área aproximada de 20m². O processo de contratação da obra emergencial ficou a cargo da Secretaria Estadual de Educação, no qual não foi realizada.
17/09/2019: A Prefeitura, como responsável na elaboração do projeto, entregou para a Secretaria Estadual de Educação para análise.
24/10/2019: Como relata o Ofício nº 44/2019 GVP de 19 de novembro de 2019 a Secretaria de Obras do Estado esteve em Jaguarão para avaliar o prédio. Além dos problemas da cobertura já identificados, foi tratado sobre um novo caso: fachada do prédio, descolamento do reboco e rachadura na platibanda.
13/12/2019: O Parecer Técnico nº 165/2019/COTEC Iphan-RS autoriza obra emergencial na fachada da edificação. Relata sobre o ofício nº 1412/2017/Iphan-RS de 21 de julho de 2017 encaminhado ao Estado onde solicita o projeto de restauro para análise.
Em 2019, foi realizada a intervenção na fachada da edificação.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome