Jaguarão: Escolas de Samba afirmam que não irão participar do Carnaval

Evento costuma atrair público do município e da região. (Foto: Arquivo/Divulgação/Prefeitura de Jaguarão)

O carnaval de Jaguarão deste ano não contará com o tradicional desfile das escolas de samba Estrela D`Alva, Aguenta se Puder e Palestina.

A decisão foi divulgada no dia 29 de dezembro quando ocorreu por parte das diretorias das entidades a entrega de um documento para a Liga das Entidades Carnavalescas pedindo o licenciamento do Carnaval 2023.

A nota oficial da Escola Estrela D’Alva diz que o motivo foi a falta de sensibilidade do poder público em dialogar a respeito das verbas destinadas para cada escola, apontando que estão desde outubro do ano passado tentando ajustar, sem retorno algum.

Segundo a presidente da Escola Palestina, Giovana Alvarez, o poder público não se preocupou com as pessoas que vão para avenida somente assistir os desfiles. “Quem vai perder são pessoas que gostam de ir para a avenida assistir às escolas, os blocos que fazem o carnaval do povo”, disse.

Em contato com a reportagem, a assessoria de imprensa da Prefeitura informou que a comissão de Carnaval não recebeu nada oficial do licenciamento das escolas e aguarda documentação da Liga para que possam emitir algum parecer. Ainda segundo a assessoria, a Liga possui um regulamento, que foi assinado por representantes das entidades de Carnaval, e com isso, tem amparo legal e consequências.

Assim como em outros anos, o Carnaval de Jaguarão deverá ser realizado com sete dias de folia. No entanto, ainda não há definição de atrações nos dias em que ocorreriam os desfiles.

A Liga das Entidades Carnavalescas, através da sua presidente Liamar Silva, se manifestou por meio de nota em que afirma ter feito todo o possível para que o impasse fosse resolvido. Além disso, aponta que a decisão das escolas “se deu por conta das datas dos repasses pois as mesmas acham o tempo muito curto para se organizarem” e que a Liga procurou encontrar uma solução entre as partes por meio de ajustes no regulamento como no número mínimo de componentes e de carros alegóricos.

“Não podemos esquecer que a Liga recebe recurso público e que tem a obrigação de prestar contas desses recursos, por esse motivo, tem regras a serem cumpridas”.

A nota indica que a Liga tentou, como último recurso, realizar uma reunião entre a Comissão de Carnaval e os presidentes das escolas, que a desmarcaram. Os recursos, no valor de R$ 60 mil, para cada escola serão depositados na conta da Liga e, segundo o texto, será repassado para quem optar pela participação. “A Liga de Carnaval está aberta para juntos acharmos uma solução, pois o que importa é o Carnaval jaguarense, que deve ser preservado”, finaliza.

1 comentário

  1. Tb… com esse governinho medíocre… o que é esse cidadão que viu o cargo de prefeito cair no colo, Jesus?! Menor condição, um desastre. Como político, o Fávio Telis é uma bola de neve de equívocos. Mas como prefeito, peraí né gente, aparentemente, não dá pra comparar…

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome