Capão do Leão completa 41 anos com R$ 12,5 milhões em obras

Prefeito Vilmar Schmitt (Progressistas) e o vice Jeferson Antuarte (PSD) destacam ações realizadas ao longo do mandato e projetam os próximos investimentos. (Foto: Adilson Cruz/JTR)

Primeiro distrito de Pelotas a se tornar município, Capão do Leão completou 41 anos de emancipação no dia 3 deste mês de maio com mais de R$ 12 milhões em obras realizadas pela Prefeitura. São ações de pavimentação em vias importantes da zona urbana, ampliação de escolas e intervenções de melhorias em Unidades Básicas de Saúde, além de projetos na área do Turismo capazes de, em um futuro próximo, incluir o Município no roteiro da Costa Doce Gaúcha.

Em seu terceiro mandato como prefeito (os primeiros foram em 2001-2004 e em 2005-2008, quando foi reeleito) Vilmar Schmitt (Progressistas), de 79 anos, diz que é um pouco “suspeito” para falar das ações do seu atual governo. “Mas nós somos obrigados a falar daquilo que fazemos, estamos fazendo o que se pode, assim como os outros governos fizeram o que puderam”, disse ele, com serenidade, ao lado do vice, Jeferson Antuarte (PSD), em entrevista à equipe do Tradição Regional.

As obras a que Schmitt se refere não são poucas. O prefeito, que retomou o direito de voltar a ocupar o principal gabinete do Paço Municipal leonense em novembro de 2020, quando recebeu 6.588 votos (51,79%), cita algumas delas: a pavimentação nos dois sentidos da avenida Narciso Silva, a principal da área urbana; no acesso da BR 293 até a via; e na avenida 3 de Maio, no bairro Jardim América, o maior aglomerado urbano do Capão do Leão, que concentra 16 mil habitantes, mais da metade do total de 30 mil.

Ainda lembra da construção de 14 novas salas de aula (quatro já entregues) e reformas em nove escolas, aquisição de ambulâncias, projetos com verba já garantida para ampliação e melhoramento das instalações da UBS 3, no Jardim América, e no Parque Fragata.
Não para aí. Schmitt acrescenta ainda a conclusão em obras de calçamento herdada da gestão passada, o estacionamento no cemitério e a reforma nas duas capelas, “que foram feitas nos meus primeiros mandatos”, completa.

Para a festa dos 41 anos, que começou dia 26 de abril com o lançamento do geoparque Pedreira do Sapem (alusão ao nome original da pedreira que mais tarde a Prefeitura de Pelotas batizou de Empem), Schmitt destaca agendas no bairro Jardim América e a consolidação do principal festival de música do Capão do Leão, o 9º Levante da Canção Gaúcha, que será realizado pelo segundo ano consecutivo a partir desta sexta-feira (5).

Infraestrutura
Com uma área de 750 quilômetros quadrados, dotar Capão do Leão de infraestrutura não é tarefa fácil. Apenas a zona rural dispõe de uma malha de estradas vicinais de 250 quilômetros, ainda há 200 quilômetros na área urbana, distribuídos em 240 vias. “É o nosso maior déficit”, reconhece o secretário de Obras, Urbanismo e Habitação, Hugo Alexandre. Segundo ele, Capão do Leão tem apenas 8% de vias pavimentadas. Portanto, mãos à obra.

Com carta branca do prefeito e do vice, ele diz que o governo está unido para reverter esta deficiência dentro das possibilidades de recursos, por meio do Pavimenta RS e de emendas parlamentares. É a solução encontrada até o momento para oferecer melhor condição de trafegabilidade aos leonenses. Além da vontade política. “Estamos fazendo um trabalho maciço nesta área”, diz o titular de Obras.

E ele justifica a afirmação com números: ao todo, somando as intervenções nas avenidas Narciso Silva e Três de Maio, além do acesso da BR 293 à Narciso Silva, são 8,3 quilômetros asfaltados desde janeiro de 2021, quando Schmitt e Antuarte tomaram posse.

Só na Narciso Silva foram aportados mais de R$ 2,4 milhões; na 3 de Maio, o montante chega a R$ 803 mil; e na via de acesso, R$ 1 milhão. Valores que, somados com outros investimentos, chegam aos mencionados R$ 12,5 milhões. Desses, a contrapartida do município chega a R$ 3 milhões. “Tudo isso graças a nossa articulação política, principalmente com o governo do Estado, o Capão do Leão foi o [Município] que conseguiu angariar o maior investimento na Zona Sul, depois de Pelotas”, emenda o vice. Atualmente, ele informa, seis ruas recebem calçamento, além do calçadão nos canteiros da Narciso Silva.

Antuarte deposita confiança em novas ações como essas até o fim do mandato, em dezembro do ano que vem. De acordo com ele, a prefeitura já protocolou projeto via Pavimenta 2 para estender a pavimentação da avenida Narciso Silva até o Cerro do Estado. “Estamos monitorando para encaixar o projeto de mais de R$ 2 milhões, serão mais dois quilômetros de asfalto”, projeta.

Mas é no presente que está o futuro próximo. As obras em andamento no ginásio de esportes Manoel Nei, ex-prefeito cuja administração viabilizou a construção da estrutura, em 1992, começaram em abril e devem terminar em julho. Com orçamento de R$ 361 mil, será feita troca de toda a fiação elétrica, reforma de banheiros e quadra, além de um novo Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndios (PPCI). “Estava fechado há oito anos”, acrescenta o prefeito. “Depois de pronto voltará a ser usado para atividades esportivas da comunidade”.

Saúde
Capão do Leão tem como referência na Saúde municípios como Pelotas, Jaguarão, Pinheiro Machado, Piratini, Rio Grande e a capital Porto Alegre, o que demanda deslocamento diário de pacientes para sessões de fisioterapia, hemodiálise e exames de referência. Para isso é preciso frota em bom estado de conservação. Prefeito e vice asseguram que sim, graças a constantes serviços de manutenção, ainda mais necessários devido à quilometragem alta dos mais de dez veículos disponíveis – entre esses, duas vans.

Por essa razão, a prefeitura já garantiu junto ao governo do Estado mais de R$ 300 mil para compra de novos automóveis a fim de iniciar o processo de renovação da frota. Antuarte justifica: “Em Saúde, quanto mais, melhor – e ainda assim não resolve”, constata. Pensando nisso, Capão do Leão conta hoje com duas ambulâncias Samu zero quilômetro, além de uma terceira “referência Samu”, diz o vice-prefeito, referindo-se ao fato de que o veículo dispõe de todos os recursos de uma ambulância para atendimentos via Samu. Ainda há outras duas de reserva.

A estrutura física merece registro. O município dispõe de um serviço de Pronto-Atendimento 24 horas, de segunda a segunda, para casos de urgência e emergência. Não são poucos os moradores de Pelotas atendidos na unidade porque consideram o atendimento mais ágil, o que ajuda a inflar o número de atendimentos, que chega a 2,7 mil ao mês, entre procedimentos e consultas.

O movimento é inferior ao registrado na UBS Posto 3, no Jardim América. Na estrutura localizada no aglomerado urbano mais populoso do município são atendidas 6,5 mil pessoas em média mensalmente. Por isso será ampliado. “Temos dinheiro e um projeto em andamento. Nosso objetivo é licitar a obra de ampliação e melhoria da unidade ainda este ano”, projeta Antuarte.

A mesma ação está na mira da prefeitura para a UBS do Parque Fragata. Aqui, a obra já era para estar em andamento. No entanto, a construtora que venceu a licitação desistiu da execução, o que obriga a prefeitura a abrir um novo processo licitatório. O projeto de ampliação de uma terceira UBS, a Casabom, está, nas palavras do vice, na fila para ser elaborado. Além dessas três, Capão do Leão conta com outros dois postos de saúde, a UBS Central e Campo do Estrela.

Farmácia Municipal? Tem também. Fica no Jardim América, o bairro-cidade do Capão do Leão. Abre manhã e tarde, com uma lista “gigante” (as aspas são do vice-prefeito) de medicamentos. O prefeito acrescenta que conta com equipe completa, incluindo duas farmacêuticas.

Mas não há estrutura que dê conta do setor, um dos mais espinhosos de toda e qualquer administração municipal, independentemente do porte e da situação socioeconômica do município.

Prefeito e vice reclamam que as referências “deixam a desejar”. Em toda a Metade Sul, por exemplo Schmitt e Antuarte dizem não existir dermatologista disponível em nenhum município. O paciente precisa ser deslocado a Porto Alegre para ser atendido pelo especialista.

Situações como esta geram desgaste. A fila não anda e a comunidade, na ponta, entende que o problema é do prefeito. O vice explica o funcionamento: “A prefeitura encaminha e oferta o médico no postinho. O médico faz o requerimento e envia para a regulação, na Secretaria do Estado da Saúde, em Porto Alegre, que coloca no sistema e faz a chamada conforme a oferta de serviços. A justificativa tem que ser muito bem feita. O funcionário do setor, se não houver boa justificativa, vai encaminhar o caso mais urgente. Quem justifica isso é o médico. Se a requisição não é bem formulada o paciente fica para depois, mesmo necessitando do serviço. Por isso, orientamos muito o chefe de posto para ser preciso na justificativa”.

Dificuldade para encontrar profissionais de medicina no mercado dispostos a trabalhar em municípios de pequeno porte, é outro gargalo que Capão do Leão, a exemplo de outras cidades da Zona Sul, enfrenta. “O problema não é falta de dinheiro, é de mão de obra”, afirma o prefeito.

No entanto, há um entrave ainda maior na gestão: as limitações previstas em lei. A prefeitura de um município classificado como de baixa complexidade, como Capão do Leão, não pode, por exemplo, contratar cardiologista. Nem pediatra. É dever do Estado.

“Recurso, hoje, tem”, diz o prefeito. Ele explica: “Vem do Estado e do governo federal, via emenda parlamentar – 50% delas têm que ser destinadas à Saúde. Mão de obra, pagando bem, tem. Mas o município fica muito engessado. A gestão não pode ser plena. Cardiologista, mesmo, são duas consultas por mês para o Capão do Leão. É nada, e não podemos contratar. O Estado manda o recurso para Pelotas, que é a referência. O sistema é o problema”, opina.

Apesar das dificuldades, a prefeitura busca alternativas para driblá-las. A partir deste mês, após reuniões com a secretária do Estado da Saúde, Arita Bergmann, Capão do Leão terá a plenitude da escolha de laboratórios. Em outras palavras: caberá à Secretaria de Saúde do Município administrar a verba para contratar o serviço. “A ideia é ampliar a oferta para o paciente SUS”, anuncia Antuarte.

Educação
Composta por 13 unidades, a rede municipal de ensino conta com dez escolas na zona urbana e três na zona rural, localizadas no Climaco, Passo das Pedras e Pavão. Oferece Ensino Fundamental e pré-escola. Na Escola Municipal Santo Ângelo, no Jardim América, a estrutura é cedida para o Estado, que oferece Ensino Médio no turno da noite.

Das dez localizadas na zona urbana, três (Parque Fragata, Jardim América e Centro) são destinadas para a educação Infantil. Duas delas (Parque Fragata e Jardim América) estão com obras de ampliação, com cobertura e cozinha nova.

O transporte escolar é gratuito. O Estado repassa uma verba que a administração precisa cobrir para custear a totalidade do serviço. O setor é o que dispõe do maior número de funcionários do quadro de servidores, ocupando mais da metade da folha de pagamento.

Concurso público
Com oito mil inscritos, o concurso público aberto pela prefeitura visa preencher centenas de cargos, com direito a cadastro reserva. A evasão no quadro de funcionários do Poder Executivo leonense é grande, segundo os atuais gestores. “Só de aposentados, que continuavam trabalhando, vão sair 140 até o fim do ano, a grande maioria já saiu”, diz o vice-prefeito. “A opção pelo concurso é para dotar a prefeitura, não apenas a nossa administração, de servidores para fazer a máquina andar, além de criar vínculo com o município”, acrescenta.

As provas estavam previstas para 30 de abril. Decisão judicial do dia 26, no sentido de aumentar o número de fiscais, fez com que a Prefeitura adiasse a data do certame. O Executivo alegou não haver tempo hábil para novas contratações a fim de atender a determinação judicial. Até o fechamento desta matéria, uma nova data para aplicação das provas ainda não havia sido anunciada.

Confira ações realizadas pela administração municipal em diversas áreas do município

Educação

Entre as ações realizadas na área da educação destacam-se as ampliações nas escolas municipais e aquisição com verba própria de três ônibus 0km para qualificar a frota, além de uma caminhonete 0km para ajudar nas manutenções das instituições.

Administração

A prefeitura lançou edital de concurso público para contratação de servidores que irão ocupar diversos cargos na administração pública.

Cidadania e Assistência Social

Elaborado pela Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social, o projeto de implantação do Cartão Social Leonense consiste em um benefício financeiro pago às famílias participantes do Projeto Municipal Prato Cheio que atendam aos pré-requisitos estabelecidos pelo projeto.

“A nossa proposta é que através do Cartão Social Leonense, os usuários possam dispor de recurso financeiro e adquirir os produtos de alimentação em estabelecimentos credenciados dentro do próprio município, além de resgatar a cidadania dos usuários que, assim, poderão escolher os produtos alimentícios de acordo com suas necessidades. O entendimento da Gestão, juntamente com o Conselho Municipal de Assistência Social, é que o Cartão Social Leonense é um avanço em termos de políticas públicas de assistência social”, explicou a secretária Beatriz Sedrez no lançamento, em março.

O prefeito também cita alguns dos benefícios. “O Cartão Social Leonense será uma grande conquista para todos os munícipes, pois não só vai possibilitar que as famílias possam comprar seu alimento, como também vai fomentar o comércio local, já que, diferente de outros programas, em que é possível comprar em qualquer município, nosso cartão permitirá a compra somente no comércio local de Capão do Leão”, destacou o atual prefeito.
Outra ação é o Projeto Municipal Mulheres Cidadãs. Voltado para as mulheres referenciadas e acompanhadas pelo Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), tem como objetivo promover a participação das mulheres na própria comunidade a qual estão inseridas, contribuindo para o desenvolvimento pessoal e coletivo da comunidade como um todo. No projeto, elas são protagonistas das próprias vivências, troca de experiências e reflexões acerca da realidade em que vivem, sendo agentes importantes para o desenvolvimento pessoal e coletivo da comunidade. O Projeto Mulheres Cidadãs foi lançado no dia 8 de março de 2023 e conta atualmente com 19 mulheres.

O CRAS Leãozinho também ganhou novas instalações e está localizado na rua Alexandre Rodrigues, nº 730, bairro Teodósio.

Cultura

Na área da Cultura, diversas atividades contribuíram para o desenvolvimento deste setor no município, com alcance regional. Entre as atividades realizadas nesse ano estiveram o Carnaval, com grande participação dos foliões, e a 12ª Festa da Melancia, em março, que voltou a ser realizada após intervalo devido à pandemia de Covid-19. O evento ainda teve a realização de show nacional com a banda Nenhum de Nós.

Obras

A Secretaria Municipal de Obras, Urbanismo e Habitação promove investimentos em diversos bairros do município.

Entre 2021 e 2022 foram executadas:

A pavimentação do acesso da cidade de 1,8 km com recursos do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (DAER) no valor aproximado de R$ 1 milhão

Capeamento asfáltico da avenida Narciso Silva com recursos do Estado (Pavimenta RS) e Município no valor de R$ 2,4 milhões

Atualmente, a Secretária de Obras está executando várias frentes de serviços, com recursos de financiamento do Badesul, emendas parlamentares através da Caixa Federal e recursos próprios no valor total de mais de R$ 12 milhões, sendo:

Saúde

Os profissionais de saúde das Unidades Básicas de Saúde em Capão do Leão desenvolveram uma nova estratégia para atenção e promoção de saúde por meio de grupos de caminhada para moradores de diferentes bairros.

Além de proporcionar qualidade de vida, iniciativas como essa também unem a comunidade através do lazer.

“Os grupos têm como principal objetivo promover saúde e prevenção de doenças crônicas”, conta Cíntia Iribarrem, secretária Municipal de Saúde. Os grupos de corrida são abertos a todos os públicos. Para participar, basta residir em Capão do Leão e se dirigir à uma das cinco UBSs do município. As unidades contam com grupos próprios, além de um educador físico para guiar as atividades com mais eficiência.

Além disso, o ano de 2022 também foi de ganhos em infraestrutura para a saúde da população leonense. O município agora conta com duas ambulâncias e uma van adaptada para o transporte de pacientes e acompanhantes em tratamentos.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome