Estiagem em Arroio Grande: Entidades representantes do setor produtivo manifestam preocupação com as perdas econômicas

Foto: Camila Lima

Após a reunião realizada na manhã da última terça-feira (3) entre entidades que representam o setor produtivo e o Executivo e que determinou o pedido de homologação do decreto de situação de emergência, por conta da estiagem, que afeta a região. Os líderes do Sindicato Rural de Arroio Grande e da Associação dos Arrozeiros, além de  extensionista da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER) manifestaram preocupação com o agravamento da situação.

Os recursos arrecadados em Arroio Grande são provenientes, em sua maioria, do agronegócio, por isso os impactos econômicos por conta da atual situação climática podem ser significativos, refletindo nos demais setores. O presidente do Sindicato Rural, Ladislau Silveira, pondera que a situação é crítica e que a preocupação se estende para os
próximos meses por conta da previsão de chuvas irregulares para a região.

Estima-se que Arroio Grande possua cerca de 44.530 mil hectares de soja e as perdas serão significativas com o cenário atual enfrentado. A pecuária de leite e corte também vem sofrendo com a falta de chuva.

De acordo com os dados apurados pelo extensionista da Emater, Daniel Feijó, a soja precisa de 800 mm de chuva para a conclusão do seu ciclo. As lavouras que mais receberam água no município os índices alcançaram entre 200 mm e 300 mm, prejudicando o desenvolvimento do ciclo da cultura. A estimativa para a soja era de colher entre 40 a 45 sacas por hectare, reduzindo cerca de 35% os índices de produtividade, refletindo em um prejuízo de R$ 51 milhões que deixarão de circular no município, considerando só as perdas na soja.

Na cultura do milho, Arroio Grande possui 1.020 hectares plantadas, com uma perda de 50% na produção, de acordo com as informações apontadas no levantamento da EMATER. O presidente da Associação dos Arrozeiros, Elton Machado, ressalta que o objetivo do órgão é lutar pelos produtores como forma de buscar alternativas, não importando o tamanho da propriedade, no entanto destaca a importância da proximidade do produtor com os órgãos representativos nesse momento de dificuldade que, com certeza, irá se refletir no
município.

Mesmo não cobrindo os custos totais das lavouras, alerta-se para que os produtores mantenham a documentação necessária para ter acesso ao seguro, como forma de minimizar os prejuízos.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome