Planificação da Saúde Mental terá São Lourenço do Sul como modelo ao Brasil

Projeto começou a ser discutido na semana passada em São Lourenço do Sul (Foto: Decom/Divulgação)

*Com informações da Assessoria de Imprensa

Há muitos anos o trabalho desenvolvido em São Lourenço do Sul é uma referência e agora, o município foi escolhido para o laboratório da Planificação em Saúde Mental, que busca criar um modelo para implantação em todo o Brasil. O projeto é realizado em parceria entre Ministério da Saúde, Secretaria Estadual de Saúde, Hospital Albert Einstein e Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Saúde.

Em 27 regiões do país estão sendo criados laboratórios de planificação em diferentes áreas de saúde e as experiências lourencianas serão desenvolvidas na saúde mental. Este trabalho ocorrerá até o final de 2020, quando o modelo estará pronto para ser desenvolvido no país todo. O objetivo é trabalhar a gestão de processos de encaminhamento dos pacientes nas unidades de saúde, com uma interlocução em rede. A secretária de Saúde, Jaqueline Bergmann, explica que o Ministério da Saúde realizou uma pesquisa, constatando que as unidades básicas de saúde precisam ser mais resolutivas, por isso a planificação objetiva este trabalho em rede, o que beneficiará o paciente.

Na semana passada, o prefeito Rudinei Härter (PDT) recebeu em seu gabinete as equipes do Estado, do Ministério e do Albert Einstein para discutir o projeto junto à secretária Jaqueline, a secretária adjunta Adriane Martins e o coordenador municipal de Saúde Mental, Flávio Resmini. O grupo mostrou-se entusiasmado para o desenvolvimento do laboratório na cidade.

“O que nós vimos aqui é uma atenção básica com equipes excelentes, um trabalho muito qualificado, uma rede de atendimento muito qualificada em São Lourenço do Sul”, avaliou Raíssa Barbieri, que é coordenadora da Planificação no Rio Grande do Sul e coordenadora Estadual de Atenção Básica, após um roteiro de visitações do grupo pelas unidades locais.

O prefeito falou aos profissionais sobre o trabalho da saúde no município, explicando que a “nossa proposta é de humanização”. Ao falar sobre a planificação, ele disse: “Peguem tudo o que vocês puderem como exemplo, mas nós também queremos aprender com vocês”.
Com este laboratório de planificação, haverá mudanças nos serviços de saúde mental, trabalho que será desenvolvido pela equipe de profissionais do município com o grupo que mensalmente irá para o município. São estas mudanças que criarão um novo modelo para todo o Brasil. “São Lourenço do Sul está sendo o laboratório para o país. É daqui que vai sair toda a experiência”, resumiu a especialista de Projetos do Hospital Albert Einstein, Aline Teles.

Novo ambulatório
Com o laboratório da planificação, a cidade ganhará um novo ambulatório de saúde mental que já está com habilitação tramitando no Ministério da Saúde. O “AmbuLar” será instalado na Unidade de Saúde Central e, além de prestar atendimento aos pacientes, terá equipe para dar suporte aos profissionais da atenção básica de todas as unidades de saúde. O ambulatório será um elo de ligação entre a atenção primária e a especialidade”, explicou Aline.

São Lourenço do Sul como referência
O município tem uma história de experiências bem sucedidas em saúde mental. Foi pioneiro na criação da Nossa Casa, um ambiente de acolhimento que há 31 anos inovava com atendimento ao sofrimento psíquico longe de manicômios. Foi o primeiro Centro de Atenção Psicossocial (Caps) do Rio Grande do Sul e o segundo do Brasil. Ao longo dos anos a rede de saúde mental cresceu e atualmente o município conta com três Caps, 30 leitos psiquiátricos na Santa Casa, equipe multiprofissional de redução de danos, residência médica em psiquiatria e residência de equipe multiprofissional. Por toda esta trajetória, o município é considerado referência em atendimento de saúde mental e foi escolhido para construir o modelo de planificação da saúde mental.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome