Cores e aromas marcam o início da colheita de uva na região

O casal construiu o Vinhedo Fortaleza, localizado no 1º Distrito, possuindo mais de um hectare com parreiras (Foto: Catarine Thiel/JTR)

Diferentes cores e aromas invadem o parreiral nesta época do ano, demonstrando que é tempo de colher a uva. O Rio Grande do Sul é responsável por 58% da produção de uvas do Brasil, segundo dados da pesquisa de Produção Agrícola Municipal (PAM) de 2018 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A principal produção se concentra na região da Serra, nos municípios de Flores da Cunha, Bento Gonçalves e Caxias do Sul.

Embora a cultura seja tradicional na Serra Gaúcha, produtores de outras regiões têm adaptado para as suas condições de clima e solo. Em São Lourenço do Sul, o casal Gelson Scheer e Rejane Schuenemann apostaram na cultura em 2014, uma ideia que necessitou de muitos investimentos e, principalmente, coragem para começar em uma cultura pouco explorada no município. Hoje, o Vinhedo Fortaleza possui mais de um hectare com parreiras, contendo cerca de 15 cultivares de uvas, divididas entre variedades de mesa e de suco. Algumas são variedades mais precoces e outras de ciclos mais longos, que garantem a produção desde dezembro até a primeira quinzena de abril.

Um diferencial é a propriedade aberta para visitação durante todo o ano, sendo que neste período da colheita de uva há possibilidade de escolher a fruta direto da parreira. Ao chegar, cada visitante ou família recebe um cesto e uma tesoura, podendo colher as próprias uvas, escolhendo pela variedade e tamanho que preferir. Os proprietários auxiliam o visitante do grau de maturação correto de cada variedade. Durante a colheita, os proprietários recebem cerca de 300 pessoas por semana.

Devido à pandemia, eles tomaram medidas de segurança, como o uso obrigatório de máscaras, álcool gel disponibilizado na entrada e higienização dos itens compartilhados.

Na busca por melhores resultados
O vinhedo está situado na Fortaleza, 1º Distrito, na propriedade dos pais de Rejane. Eles tinham como atividade a produção leiteira e as lavouras eram dedicadas à pastagem e à produção de milho, porém, o casal resolveu inovar e apostar em uma dica recebida de um amigo em 2001, de plantar uvas. Este amigo foi o fornecedor das primeiras mudas. Após a correção do solo, eles receberam 400 mudas e iniciaram a produção.

Para evitar a proliferação de fungos, investiram na cobertura de todo o parreiral. Eles explicaram que os fungos se formam pela combinação de calor e umidade, e devido ao vinhedo estar localizado a poucos quilômetros da Lagoa dos Patos, a umidade é alta durante a noite.

Outro investimento foi na Integração Lavoura-Pecuária (ILP), unindo ovinocultura e produção de uvas. Em uma área onde estão as uvas de suco, as ovelhas são responsáveis pelo controle da vegetação, diminuindo a mão de obra. Além disso, houve diminuição do uso de fertilizantes, pois é utilizado esterco.

O novo investimento do casal é em uma área de mais de um hectare com plantio de diversas árvores frutíferas, para ter outra fonte de renda na entressafra da uva.

Horários e dias de visitação
Segunda-feira: Todo dia
Terça-feira: Necessário agendamento
Quarta-feira: Necessário agendamento
Quinta-feira: Todo dia
Sexta-feira: Necessário agendamento
Sábado: Após 16h
Domingo: Todo dia

Não é cobrada taxa de visitação, apenas as uvas que são colhidas. Contato para informações e agendamentos: (53) 99996-8714 e 99964-2874.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome