São Lourenço do Sul: Escola Francisco Frömming concretiza o sonhado laboratório de ciências

A sala foi construída em 2020 (Foto: Divulgação)

Um sonho antigo da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Francisco Frömming, localizada em Harmonia (4º Distrito), era a construção de um laboratório de ciências. Um sonho abraçado por toda a comunidade escolar. Pais e alunos por anos se dedicaram a recolher tampinhas e lacres para vender, e auxiliaram os professores e coordenadores na organização de festas, rifas e outras formas de conseguir dinheiro. E foi assim que o sonho se tornou realidade.

Em 2020, a sala que abriga o laboratório foi construída. Depois disso se iniciou a busca por materiais para equipa-la. Em abril deste ano ela ficou pronta para o uso. O espaço conta com todas as vidrarias necessárias para a realização de experimentos, estufa de esterilização, projetor multimídia, lupas, esqueletos e órgãos em tamanho real, e um microscópio elétrico que é ligado a um computador que projeta o que está sendo visto nele para todos os alunos. Ainda, possui toda estrutura com bancadas, banquetas e prateleiras.

A maior parte dos materiais é oriunda de doações de empresas lourencianas e nacionais, além de pessoas de todo país e até do exterior. Quem ajuda a escola nesta busca é a técnica em telecomunicações, Sabrina Silva, que leva o projeto montado pela escola para várias empresas, dentro e fora do país, e consegue arrecadar dinheiro e materiais. Outra parte foi doada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT-RS) que destinou o valor de R$ 29.931,84. O recurso é fruto do ajuizamento de ação do Frigorífico Espinilho, também situado em São Lourenço do Sul, devido ao constatado descumprimento das cláusulas de um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) firmado pela empresa.

Atualmente, a escola conta com cerca de 300 alunos, moradores de localidades próximas a escola. A diretora Cátia Ribeiro diz que a filosofia de trabalho da escola envolve pesquisa. “Acreditamos que a educação é libertadora, que o aluno precisa ser o protagonista e que ele precisa ir atrás do conhecimento. Os professores são mediadores, e os alunos precisam ter interesse e buscar esse conhecimento”, afirma a diretora. Ela conta também que os alunos já estão ansiosos por conhecer o novo espaço, e um a um está indo pessoalmente na escola para ver o resultado de todo trabalho conjunto.

Ainda, Cátia comenta que o próximo projeto da escola é a construção da sala “Corpo em movimento”, destinada à prática de atividades físicas. O espaço irá contar com barras de alongamento, espelho, tapetes, bolas e retroprojetor. Para este projeto a escola conta novamente com a ajuda da comunidade, e por isso criou uma vaquinha virtual para arrecadar o dinheiro.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome