Grupo de capoeira Filhos da Roda atua há 23 anos em São Lourenço do Sul

Atualmente, os 30 alunos treinam no Centro de Treinamento Filhos da Roda. (Foto: Diulia Ieque/JTR)

Há 23 anos, desde 9 de agosto de 1998, atua em São Lourenço do Sul o grupo de capoeira conhecido como Filhos da Roda, inicialmente chamado “Guerreiros da Liberdade”, e depois 4P (Poder para o Povo Preto).

Atualmente coordenado por Daniel Soares da Rosa, o conhecido Mestre Pretto, reúne todas as terças e quinta-feiras, às 19h, pessoas de 6 a 50 anos no Centro de Treinamento Filhos da Roda, localizado na rua Júlio de Castilhos, nº 2746. O espaço oferece ainda mais duas modalidades como o Taekwondo, orientado pelo mestre/professor Jorge Schneid, e Muay Thai, orientado pelo mestre/professor Roni Andersen.

Mas nem sempre foi assim. O Mestre Pretto conta que há cerca de 1 ano os treinos ocorriam na rua. Mesmo que fossem na praia ou em campo próximo ao atual centro de treinamento, não deixavam de acontecer. Ele, no entanto, recebeu a proposta de Andersen e Schneid para dividir o espaço arcando com os custos, já que não recebe incentivo e nenhuma forma de ajuda de custo do município.

Mestre Pretto conheceu a capoeira aos 15 anos, quando ia até Pelotas para realizar os treinos. Foi um dos primeiros integrantes do grupo, que foi trazido para São Lourenço do Sul em 1998. Orientado pelo Mestre Marcelo Moreira Soares, que hoje coordena o núcleo em Balneário Camboriú, na época, Pretto era aluno e estava se graduando. Mais tarde, foi um dos que trouxe a capoeira para o município.

Treinamentos chegaram a ser realizados na praia quando o grupo não tinha uma sede. (Foto: Nayoni Soares Ferreira)

O grupo promove um evento anual para “troca de cordas”, em cerimônia na qual os estudantes recebem dos mestres a graduação pelo desempenho, disciplina e aplicação nas aulas. As cores das cordas indicam o nível do capoeirista.

A sede do evento é intercalada entre São Lourenço do Sul e Pelotas para que seja possível a participação de todos. Por conta da pandemia, não houve evento em 2021. Neste ano, deve ocorrer entre fevereiro ou março.

Além disso, o grupo promove iniciativas como o projeto “Dê uma rasteira nas drogas, pratique capoeira!” que visa alcançar cada vez mais a comunidade, com o intuito de ocupar espaço na vida de crianças e adolescentes a partir dos ensinamentos da capoeira.

Em 2020, o projeto conseguiu ter acesso a recursos da Lei Aldir Blanc (Lei 14.017/20) pelo período de três meses. Mesmo sem o incentivo, mantém as atividades. No total, o grupo de São Lourenço do Sul conta com 30 alunos, entre pagantes e bolsistas. “Ninguém fica de fora, a gente conversa, ajusta, mas inclui todos”, afirma o Mestre. Em 2022, a ideia é de que ao menos 15 crianças sejam contempladas com bolsas, recebendo suporte total para que possam participar das atividades e eventos.

A estimativa é que cerca de 2,6 mil alunos tenham passado pelo grupo no município, segundo uma pesquisa realizada em 2015.

Feminismo na capoeira
Uma curiosidade é que São Lourenço do Sul foi referência em termos de participação da mulher na capoeira. No município, as ingressantes no projeto superaram as expectativas, chegando a formar até 50% do grupo. Hoje, Andreia Soares, conhecida por Dandara é a única graduanda mulher. Na mesma linha, paralelo ao evento de capoeira anual existe a roda coordenada por mulheres chamada “Ginga menina”.

Para se inscrever é só entrar em contato com o Mestre Pretto através do WhatsApp (53) 99136-0844 ou então ir até o Centro de Treinamento, nas terças ou quintas-feiras, a partir das 19h. É possível, ainda, realizar uma aula experimental.

Além dele, que é coordenador e orientador, o grupo conta com a participação de André Soares (monitor Dracks) na organização, a graduanda Andreia Soares e o graduando Jeferson Santana, conhecido como Gê.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome