Rio Grande: Prefeito encaminha pedido de medidas em prol da Santa Casa

A conversa focalizou na apresentação de propostas para recuperar a saúde financeira do hospital e evitar a suspensão de serviços. (Foto: Richard Furtado)

Ao invés do andamento de projetos de infraestrutura, a situação da Santa Casa foi a pauta do encontro de ontem entre o governador do RS, Ranolfo Vieira Júnior, e o prefeito do Rio Grande, Fábio Branco. Realizada logo após a reunião-almoço, promovida pela Câmara de Comércio, a conversa teve como pontos principais a apresentação de propostas para recuperar a saúde financeira do hospital e evitar a suspensão de serviços.

Ladeado pelo presidente da Santa Casa do Rio Grande, Renato Silveira, e demais diretores da associação, o prefeito defendeu a adoção de um pacote de medidas capazes de ajudar o hospital a superar a crise financeira, que volta e meia causa suspensão de serviços e atendimentos e ameaça a manutenção da instituição. “O problema é tão grave que uma única solução não resolve”, afirma Branco.

A primeira proposta é a do Banrisul assumir o total das dívidas da Santa Casa e tornar-se o único credor da entidade, garantindo prazos e condições de quitação que auxiliem na recuperação da saúde financeira do hospital. O prefeito pediu, também, um aporte de recursos para custeio através do programa Avançar na Saúde, lançado no ano passado pelo governo estadual.

Branco e a diretoria ainda defenderam um adiantamento especial de verbas via Fundo Ambiental do Porto de Rio Grande para o hospital. A operação poderia garantir o repasse de R$ 14 milhões ao hospital. O dinheiro seria devolvido pela Prefeitura, que repassaria ao porto os R$ 600 mil que destina mensalmente para a Santa Casa e quitaria a dívida em 14 meses.

“Ao invés de pagar a Santa Casa iríamos ressarcir o porto e entendemos ser uma alternativa bem factível e que não traria prejuízo algum ao Estado, ao mesmo tempo que auxiliaria o hospital”, diz.

O governador Vieira Júnior prometeu levar as propostas para avaliação da equipe econômica do governo.

 

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome