Municípios da 3ªCRS aplicaram 836 doses da CoronaVac de lotes interditados pela Anvisa

Doses da vacina Coronavac (Foto: Michel Corvello/Prefeitura de Pelotas)

Apenas dois municípios da região não aplicaram as doses recebidas

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), determinou na última quarta-feira (22) que os lotes das doses da vacina CoronaVac, que haviam sido interditados no início de setembro, fossem recolhidos. A determinação se deu após o Instituto Butantan, parceiro na produção da CoronaVac, comunicar a Anvisa de que 25 lotes do imunizante foram envasados em instalações não inspecionadas pela agência. Na região, apenas dois municípios não aplicaram doses dos lotes.

“A decisão foi tomada após a constatação de que os dados apresentados pelo laboratório não comprovam a realização do envase da vacina CoronaVac em condições satisfatórias de Boas Práticas de Fabricação”, disse a Agência, em nota.

A Anvisa informa também que, desde a interdição cautelar, avaliou todos os documentos encaminhados pelo Instituto Butantan, “dentre os quais os emitidos pela autoridade sanitária chinesa”.

Dos 22 municípios que integram a 3ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), apenas dois não utilizaram as doses dos imunizantes recolhidos. Caroline Hoffmann, a titular da 3ª CRS, explica que os cidadãos que receberam as doses serão monitorados pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) para identificar possíveis adversidades. “Não há outra orientação por enquanto, estamos aguardando o Ministério da Saúde se manifestar”, acrescentou.

Em Pelotas, nenhuma das 680 doses dos lotes, recebidas pelo município, foram aplicadas. Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) explica que as doses eram destinadas as ações de segunda dose, por isso não foram utilizadas pelo município em ações de primeira dose. “Elas ficam reservadas para que não ocorra falta do imunizante para completar o esquema vacinal”, explica a chefe da Vigilância Epidemiológica da SMS, Aline Machado da Silva.

Sobre o destino das doses, a Anvisa informou que: “O importador da vacina tem a responsabilidade de inutilizar os lotes interditados. A forma de inutilização fica a critério do importador, podendo ser feita a devolução dos produtos à Sinovac ou a destruição”.

Confira as doses do lote distribuídas na Região

RECEBIDAS UTILIZADAS
Amaral Ferrador 20 20
Arroio do Padre 10 0
Arroio Grande 40 36
Canguçu 120 120
Capão do Leão 50 36
Cerrito 20 11
Chuí 20 6
Cristal 20 20
Herval 20 19
Jaguarão 60 47
Morro Redondo 20 20
Pedras Altas 10 6
Pedro Osório 20 20
Pelotas 680 0
Pinheiro Machado 30 29
Pìratini 50 23
Rio Grande 420 214
Santana da Boa Vista 20 20
Santa Vitória do Palmar 60 50
São José do Norte 60 42
São Lourenço do Sul 90 90
Turuçu 10 7
Totais 1.850 836

Fonte: 3ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS)

Confira os lotes impactados

Segundo a Anvisa, 12.113.934 doses de lotes cujo recolhimento foi determinado pela Anvisa já foram distribuídos. São eles: IB: 202107101H, 202107102H, 202107103H, 202107104H, 202108108H, 202108109H, 202108110H, 202108111H, 202108112H, 202108113H, 202108114H, 202108115H, 202108116H e L202106038.

SES/SP: J202106025, J202106029, J202106030, J202106031, J202106032, J202106033, H202106042, H202106043, H202107044, J202106039, L202106048.

Outras 9 milhões de doses estão em lotes ainda em tramitação de envio ao Brasil. São eles:

IB: 202108116H, 202108117H, 202108125H, 202108126H, 202108127H, 202108128H, 202108129H, 202108168H, 202108169H, 202108170H, 2021081701K, 202108130H, 202108131H, 202108171K, 202108132H, 202108133H, 202108134H

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome