Governo mantém a cogestão regional, mas amplia as restrições no RS

O governador Eduardo Leite se reuniu, na manhã desta segunda-feira (22), com a Federação das Associações de Municípios (Famurs) para tratar sobre medidas de enfrentamento à pandemia. (Foto: Felipe Dalla Valle/ Palácio Piratini)

Com 11 regiões em bandeira preta, o governo ampliou restrições para todo o estado.

O Gabinete de Crise decidiu indeferir, nesta segunda-feira (22), os pedidos regionais de reconsideração ao mapa preliminar da 42ª rodada do Distanciamento Controlado. Com isso, o mapa definitivo permanece com 11 regiões em bandeira preta e dez em bandeira vermelha.

Após uma extensa reunião com associações regionais, prefeitos e entidades, o Gabinete de Crise decidiu manter a possibilidade de cogestão regional. Dessa forma, as regiões em bandeira preta que aderiram ao sistema compartilhado podem adotar os protocolos próprios com nível de restrição da bandeira vermelha.

Como condição para que fosse mantida a cogestão, o governo aumentou as restrições no estado, como por exemplo, o horário em que o comércio geral deve fechar. Independentemente da bandeira da região, o horário da suspensão geral de atividades não essenciais, a partir desta terça-feira (23) será ampliado em duas horas, começando às 20h, e indo até as 5h.

Apesar disso, as cidades com bandeira preta poderão permanecer com as atividades de educação infantil e do 1º e 2º ano de alfabetização, funcionando normalmente, desde que seguindo todos os protocolos de saúde.

O governador Eduardo Leite ainda deixou claro que, “se for necessário, não nos furtaremos de tomar medidas mais restritivas que as atuais”. Na próxima quinta, o governador deve se reunir novamente com o Comitê de Crise e os prefeitos dos municípios para discutir sobre a evolução do coronavírus no estado.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome