Expofeira destina espaço às Mulheres Empreendedoras

Grupo de mulheres nasceu no WhatsApp, a partir da iniciativa da artesã Silvia Leão. (Foto: Divulgação/Cris Noguez)

Um local essencialmente feminino terá espaço na 95ª Expofeira, onde 34 mulheres de Pelotas e região, a maioria delas artesãs, estarão expondo os seus produtos. O estande estará aberto durante todo o evento, das 9h às 22h, de acordo com o fluxo da feira.

O grupo de mulheres que busca o seu espaço no competitivo mercado masculino nasceu no WhatsApp, a partir da iniciativa da artesã Silvia Leão, que procurou reunir amigas a fim de comercializar seus produtos. Hoje, o grupo conta com 256 integrantes, isso porque é o limite no aplicativo. No Facebook, chegam a 27 mil participantes de todo país, com concentração de moradoras de Pelotas, na página Vitrine Mulheres Empreendedoras.

Tudo começou a partir da intenção de Silvia em vender os seus artesanatos, e então criou um grupo de amigas. Algumas também realizavam vendas. No grupo, que era privado, das 40 adicionadas, apenas 18 participavam quando ela resolveu abrir o link para outras interessadas. O único requisito era de que apenas mulheres participassem. O grupo cresceu e, hoje, tem inclusive fila de espera para entrar. “Tem sido muito bacana porque existe um comprometimento muito forte entre todas”, afirma.

Elas já participaram de duas feiras até agora. Uma com aproximadamente 40 participantes e outra com 100. “Teríamos feito outra, no ano passado, mas com a pandemia ficamos aguardando o momento certo, provavelmente será no ano que vem”, diz Sílvia. Desse grupo, foram selecionadas 34 para participar da Expofeira.

“Quando nós fomos convidadas foi uma feliz e grata surpresa”, conta a artesã. Segundo ela, a prefeita entrou em contato e, então, elas foram conhecer o espaço, que daria no máximo 32 pessoas. Por isso, houve a necessidade de se restringir o número de participantes. Ela conta que todas ficaram muito motivadas e um novo grupo foi criado para tratar da feira.

“Todas nós iremos apresentar o nosso trabalho. Grande parte é artesanato, uma vende brechó de qualidade, outra vende docinhos gourmets, outra roupas e confecções, tudo dentro do empreendedorismo feminino. A ordem é essa, homem não entra. Pode até ajudar, mas a intenção é unir a força feminina para poder mostrar o seu trabalho”, ressalta Silvia.

Em contrapartida, por a feira coincidir com o Outubro Rosa, mês de combate ao câncer de mama, surgiu a ideia de apoiar o Instituto Buquê de Amor (IBA) de Pelotas, que encaminha mulheres para exames de mamografia. Através de esforço conjunto, serão confeccionados laços cor de rosa com o nome do Instituto, que serão distribuídos aos visitantes. “No espaço haverá locais para doações espontâneas em dinheiro para apoiar o IBA em troca do lacinho, que será preso à roupa com um alfinete de segurança”, destaca.

Segundo Sílvia, apoiar uma causa tão nobre como essa, foi a maneira que o grupo encontrou de retribuir o carinho com que foram recebidas pelos organizadores da Expofeira.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome