Com nomes já conhecidos, Lula (PT) e Eduardo Leite (PSDB) indicam ministros e secretários dos futuros governos

Lula (PT) ocupará o Palácio do Planalto e Eduardo Leite (PSDB) o Palácio Piratini. (Fotos: Pedro França/Agência Senado e Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini)

Além da chegada do novo ano, o dia 1º de janeiro também dá início aos novos governos eleitos em outubro. Em seu terceiro mandato, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) irá governar o país por mais quatro anos. A posse ocorrerá no domingo (1º), na Esplanada dos Ministérios, com o tradicional protocolo que se consolidou desde a redemocratização do país, contando com Sessão Solene de Posse de Lula e Geraldo Alckmin (PSB) no Congresso Nacional, com início previsto para as 15h, desfile em carro aberto, pronunciamento e transmissão de faixa presidencial.

Para o governo gaúcho, a solenidade na Assembleia Legislativa começará às 10h, com a posse de Eduardo Leite (PSDB) e o vice Gabriel Souza (MDB). Para as 11h, a agenda será no Palácio Piratini, com a transmissão do cargo de Ranolfo Vieira Júnior (PSDB) para o governador eleito.

Parte importante dos governos são os nomes que ocuparão os Ministérios e Secretarias. Ainda durante o período de transição, foram realizadas algumas indicações.

Em Brasília, serão 37 pastas, com o desmembramento de atuais, e criação de novas, como Mulher, Igualdade Racial e Povos Originários. O atual Ministério da Economia, por exemplo, dará lugar a Fazenda, Indústria e Comércio, Planejamento e uma pasta de Gestão ainda em aberto.

Mesmo com o aumento de ministérios, o futuro ministro da Casa Civil, Rui Costa, afirmou que não haverá aumento da máquina pública com a ampliação, apenas uma redistribuição de cargos. Somente os cargos dos novos ministros é que serão criados, por meio de uma Medida Provisória (MP). “Não haverá criação de cargos, como eu disse, os cargos dos atuais ministérios serão redistribuídos, mas a figura do ministro precisa ser criada por lei”, ressaltou. Ao todo, serão representantes de nove partidos. O PT terá 10 ministros, o MDB, PSB, União Brasil e PSD três cada um, PDT, PSOL, PCdoB e Rede ficarão com um cada. Os últimos 16 nomes foram anunciados na quinta-feira (29).

No caso de Leite, o primeiro governador reeleito no estado, deverão ser 27 pastas com muitos nomes já conhecidos, pois atuaram durante o primeiro mandato do pelotense. Os anúncios começaram no início do mês e foram sendo intensificados desde o início da semana. Até o fechamento desta edição, na tarde de quinta-feira (29), eram 21 nomes anunciados. Uma das pastas deverá ser de perfil extraordinário, mas o governo ainda avalia a necessidade de criação. Serão duas Secretarias a mais do que atualmente.

Confira os Ministérios e os titulares no governo Lula (PT)

 

Confira as Secretarias e os titulares no Governo Eduardo Leite (PSDB)

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome