Dia Mundial da Juventude: entenda a importância do Programa Jovem Aprendiz  

Programa Jovem Aprendiz é regulamentado pela Lei de Aprendizagem 10.097/2000, que determina que as empresas incluam formalmente jovens de 14 a 24 anos no seu quadro de funcionários. (Foto: Freepik)

No Dia Mundial da Juventude, celebrado em 30 de março, empresas e profissionais devem ser convidados a refletir sobre o papel inclusivo e social do Programa Jovem Aprendiz, que há duas décadas oportuniza a entrada de milhares de adolescentes e jovens de 14 a 24 anos no mercado de trabalho, sendo assegurados pela Lei de Aprendizagem nº 10.097.  

Desenvolvimento mercadológico 

De acordo com pesquisa da Fundação Roberto Marinho, 68% dos brasileiros que participam da aprendizagem profissional conseguem empregos no mercado formal. “A importância do Programa Jovem Aprendiz na sociedade está na inserção do jovem no trabalho, com o verdadeiro desenvolvimento mercadológico, pronto para atuar em diversas áreas”, ressalta a doutoranda em Educação e docente do curso de Aprendizagem no Senac Pelotas, Roberta Pires.  

Habilidades e competências  

Isso porque, ao longo do percurso, os jovens aprendizes conseguem desenvolver inúmeras e importantes habilidades e competências, como: comunicação efetiva, criatividade e proatividade. “Além disso, contribuem em diversas áreas que se relacionam com o mercado como: tecnologia, gestão, vendas, logística, marketing, entre outras”, destaca a docente.  

Perfil e visão diferenciada 

No mercado de trabalho, cada profissional tem o seu perfil e, consequentemente, seu diferencial entre os demais. Segundo Roberta, a pessoa que teve a oportunidade de atuar como Jovem Aprendiz adquire expertises diferentes em relação àqueles que não trabalharam na aprendizagem. “O Jovem Aprendiz constrói uma visão relacionada ao mercado de trabalho diferenciada, conseguindo obter um relacionamento interpessoal competente, além de apresentar uma comunicação eficaz”, explica. 

Como funciona o Programa Jovem Aprendiz? 

O Programa Jovem Aprendiz é regulamentado pela Lei de Aprendizagem 10.097/2000, que determina que as empresas incluam formalmente jovens de 14 a 24 anos no seu quadro de funcionários por meio de um contrato de trabalho com duração de 11 a 24 meses. “As empresas devem pensar que mesmo sendo o primeiro emprego e com pouca experiência, os Jovens Aprendizes podem contribuir muito para o desenvolvimento das organizações”, sinaliza Roberta.  

Mas para que o jovem participe do programa, é preciso que ele esteja matriculado e frequentando uma escola, com exceção daqueles que já concluíram os estudos no ensino fundamental e médio. Os requisitos ainda exigem que o Jovem Aprendiz tenha bons desempenhos escolar e profissional, mantendo-se presente nas atividades teóricas e práticas disponibilizadas pela empresa.  

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome