Brasil supera recorde histórico de ouros e é tetracampeão no goalball masculino

País sobe ao alto do pódio 132 vezes e ultrapassa a marca de Lima 2019, que era de 124. Do total de 286 medalhas, 97,9% têm a digital do Bolsa Atleta. (Foto: Washington Alves/CPB)

Com mais 20 ouros conquistados na sexta-feira (24) nos Jogos Parapan-Americanos de Santiago 2023, o Brasil chegou a 132 medalhas douradas e superou o recorde de Lima 2019, que era de 124. Já é oficialmente a melhor campanha da história do país em termos qualitativos. No número de medalhas, o recorde é de 308, também em Lima.

O Brasil soma medalhas, mas ainda serão disputados dois dias de competições. Além dos 132 ouros, o país conquistou 75 pratas e 79 bronzes. Das 286 medalhas conquistadas pelo Brasil, 280 têm a digital do Programa Bolsa Atleta do Governo Federal, ou seja, contaram com a participação de pelo menos um bolsista. Isso dá 97,9% do total.

No quadro geral de medalhas do Parapan, o Brasil segue líder disparado, com mais ouros do que a soma de Colômbia, Estados Unidos e México, que estão em segundo, terceiro e quarto, respectivamente.

O tetracampeonato da seleção masculina de goalball foi um dos destaques do dia. O time venceu os Estados Unidos na final, por 12 x 2, e garantiu o quarto ouro seguido em Jogos Parapan-Americanos. “É uma emoção grande. Foi um desafio jogar contra uma equipe extremamente qualificada nessa final, mas o trabalho em conjunto fez a diferença”, comemorou André Dantas.

André é apoiado pelo Bolsa Atleta, assim como todos os jogadores da seleção. “O Bolsa Atleta é importantíssimo para que a nossa preparação seja feita sempre com o mais alto nível e excelência”, afirmou o jogador. No feminino, o Brasil conquistou o bronze depois de superar a Argentina por 10 x 0. O Canadá venceu os Estados Unidos por 4 x 3 e ficou com o ouro. Todas as jogadoras da seleção feminina são apoiadas pelo Bolsa Atleta.

RECORDE DE OUROS – A medalha que estabeleceu o novo recorde de ouros para a delegação brasileira veio no taekwondo, com Silvana Fernandes, campeã na categoria até 57kg. Na decisão, a atleta paraibana, venceu a mexicana Elsa Koyama por 38 a 1 para ficar com o bicampeonato parapan-americano. “É uma honra, não só representar o Brasil, mas escrever uma grande história – para o país, para a nossa Seleção de taekwondo e mostrar a nossa força. No último Parapan, foi minha estreia. Eu mudei de esporte: do atletismo para o taekwondo e, em Lima, eu me descobri. A sensação de estar aqui novamente, sendo bicampeã, mostra que estou no caminho certo”, comemorou Silvana, bronze nos Jogos Paralímpicos de Tóquio, em 2021.

DESPEDIDA DA NATAÇÃO – Modalidade que mais rendeu medalhas ao Brasil em Santiago, a natação se despediu dos Jogos nesta sexta (24). E, como não podia deixar de ser, mais uma vez os brasileiros dominaram a piscina do Centro Aquático. Foram 16 medalhas conquistadas no último dia de provas, sendo 10 de ouro, cinco de prata e um de bronze.

Da piscina também saiu o maior medalhista dos Jogos Parapan-Americanos, o nadador brasileiro Douglas Matera, que conquistou incríveis 8 ouros. Apoiado pelo Bolsa Atleta na categoria Pódio, a mais alta, Douglas exaltou o programa. “Esse programa beneficia milhares de atletas no Brasil e com certeza foi fundamental para que eu pudesse me dedicar integralmente ao esporte. Tenho certeza que poder contar com esse benefício fortaleceu meu desempenho e isso se traduz em resultados”.

A natação brasileira conquistou 120 medalhas, sendo incríveis 67 ouros, 30 pratas e 23 bronzes. Além de liderar com folga o quadro da modalidade, a campanha seria suficiente para estar em segundo lugar no quadro geral de medalhas do Parapan, atrás apenas do Brasil.

RECORDE MUNDIAL NO ATLETISMO – Samuel Conceição, de 24 anos, estabeleceu o novo recorde mundial dos 400m da classe T20 (deficiência intelectual). Com o tempo de 46s48, o atleta paulista superou em quase quarenta centésimos a antiga melhor marca (46s86), que pertencia ao também brasileiro Daniel Tavares, que também disputou a prova e terminou em sexto. “Nunca imaginei que pudesse bater o recorde do Daniel (Tavares). Sempre treino com ele e esse é um sonho que está sendo realizado. É muita felicidade, não consigo nem descrever o que estou sentindo”, destacou Samuel, que é o atual campeão mundial da prova e está disputando seu primeiro Parapan.

Ao todo, foram 15 medalhas conquistadas nesta sexta pelo Brasil no atletismo, sendo cinco ouros, cinco pratas e cinco bronzes. Destaque para a dobradinha nos 400m T47, com Fernanda Yara conquistando o ouro e Maria Clara Silva ficando com a prata. Também teve dobradinha no arremesso do peso F32/33/34, com Wanna Brito em primeiro e Leylane Castro em terceiro. No lançamento de dardo F56, ouro para Raissa Rocha. Ariosvaldo Fernandes, o Parré, foi ouro nos 100m T53.

FINAIS – Neste sábado (24), o atletismo se despede, assim como outras cinco modalidades: bocha, parataekwondo, basquete em cadeira de rodas, tênis em cadeira de rodas, futebol de cegos e futebol PC. O Brasil faz a final do futebol de cegos contra a Colômbia, em jogo marcado para as 20h. Antes, às 19h30, a seleção brasileira encara a Argentina na final do futebol PC.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome