Reconhecimento é bom e todo mundo gosta!

Desde que venho estudando o comportamento humano e, principalmente, por tudo que tenho visto na prática, as pessoas anseiam cada vez mais por reconhecimento. Estamos vivendo em uma era bastante complexa relacionada às questões emocionais humanas, uma era em que muitas pessoas possuem algum tipo de carência emocional.

Sei que muitos estudos defendem que o melhor caminho para a satisfação pessoal é a autossuficiência emocional, que o resto é resto, que o resto é um “quê” a mais, mas será mesmo? Será que somos tão práticos assim? Será mesmo que o ser humano consegue de forma independente se tornar alguém autossuficiente que não precise de reconhecimento alheio?

O reconhecimento que aqui trago não está relacionado apenas a elogios, palavras de incentivo, muito menos relacionado a prêmios, dinheiro e a presentes. O conceito de reconhecimento que trago é aquele em que recebemos acolhimento, compreensão e respeito relacionados às nossas escolhas, inclusive as escolhas erradas que algumas vezes fazemos na vida, pois isso é totalmente humano e normal. Só que parece que ainda não temos espaço nesse mundo para sermos humanos, parece que precisamos colocar capas de super-heróis e por aí percorrer jornadas que algumas vezes não fazem nenhum sentido para nós, mas que atendem as demandas impostas pela sociedade e me parece que tudo isso vira um ciclo vicioso.

Entendo que sim, precisamos de reconhecimento. Também concordo em gênero, número e grau, que as pessoas precisam desenvolver a autossuficiência emocional, porém, compreendo que faz parte da natureza humana se sentir acolhido, sentir que recebes apoio e afeto daqueles que o cercam.

Entendo que nós, seres humanos, precisamos nos sentir atendidos, que as pessoas precisam ser reconhecidas pelos seus esforços, por menores que sejam. Precisam saber ouvir e perceber que mesmo que não estejam fazendo perfeito e que estão errando, ainda assim recebam esta atenção, este reconhecimento que é tão importante para que continue escrevendo a sua história da forma que consegue, dentro do tempo que tens, com as suas características individuais.

Me esforço para mudar este comportamento, para ser uma pessoa que reconhece, acolhe, atende os demais, sem querer impor a minha verdade, as minhas regras, os meus conceitos de vida e acho que esta deveria ser uma das metas para o ano que se inicia: sermos pessoas que acolhem pessoas independente de suas escolhas, sermos pessoas que reconhecem pequenos esforços e realmente ofereçam a mão em qualquer circunstância e não só em momentos que sejam agradáveis para nós.

Te convido a refletir sobre ti mesmo. Aproveita que 2020 está no fim e faz esta reflexão sobre como tu reconheces os esforços dos teus entes queridos e também como te sentes quando recebes este acolhimento, através do reconhecimento dos outros. Entendo que sermos acolhidos, reconhecidos e atendidos não nos fará mal, pelo menos nos dias de hoje.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome