Lesões podais em vacas leiteiras – o que o peso corporal influencia?

A bovinocultura leiteira é uma das atividades mais culturais e rentáveis para o gaúcho. No último ano, o Rio Grande do Sul se posicionou como o segundo maior produtor de leite no Brasil inteiro, com cerca de 4,55 bilhões de litros de leite produzidos. A produção cresceu principalmente por fatores genéticos de seleção de genes que beneficiam a aptidão leiteira, aliados a intensificação do sistema de coleta e de inspeção, que bonifica o produtor pela higiene do produto produzido.

Porém, o fator nutricional sempre é o mais importante, pois um indivíduo não consegue produzir sem receber alimento necessário para suas funções vitais. Visualmente é possível inferir sobre a condição e o estado nutricional do animal através de inspeção visual do escore de condição corporal. Isso significa que, quanto maior a deposição de gordura observada em pontos como o pescoço, as costelas, cernelha e base de cauda, maior é o escore desse animal e, consequentemente seu peso e seu estado nutricional. Mas quanto maior é a exposição das silhuetas dos ossos do animal, menor é sua condição alimentar.

Em bovinos, isso se reflete nos membros. Sabe-se que vacas leiteiras tendem a aparentar mais magreza, porém quando se torna excessiva, isso diminui a espessura de uma estrutura que sustenta o peso dos ossos dos dedos, chamada de coxim digital. Essa estrutura assemelha-se a uma almofada para os ossos das mãos e dos pés e sua composição é quase 50% de gordura, afinando-se cada vez mais de acordo com a perda de peso do animal. Quando muito fina, cede ao peso dos ossos do animal, levando a úlceras na sola e trazendo dores intensas ao animal, diminuindo ainda mais sua produção.

Essa associação entre a espessura do coxim digital e a condição nutricional de vacas leiteiras é amplamente estudada. Diversos pesquisadores já comprovaram que, quanto mais desnutrido o animal, maior é o índice de claudicações (manqueiras) causadas pela dor intensa que a lesão causa nas solas dos membros. Uma nutrição adequada não melhora apenas os aspectos produtivos do animal e mantém suas funções fisiológicas vitais, mas auxiliam também nessa proteção aos membros, trazendo mais bem-estar às vacas leiteiras.

Dica veterinária da semana

Um plano nutricional adequado é de fundamental importância para animais de produção. Fatores como imunidade, produção de carne, leite e lã e até mesmo morfológicos para cada raça dependem de uma alimentação adequada. Animais malnutridos causam mais gastos com suplementação, remédios e consultas veterinárias. Investir na nutrição é colher os frutos na produção.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome