História do atual ENART

O colunista Paulo Souza.

1ºFEMOBRAL 1977 / 1º FEGART 1986 / 1º ENART 1997

A partir desta sexta-feira todo o Rio Grande do Sul passa a respirar o ENART 2023 e nós, da 26ª Região Tradicionalista, já estamos preparados para torcer pelos nossos artistas, que competirão em várias modalidades. A modalidade que mais atrai a multidão de fãs é a de Danças Tradicionais. Nesta, teremos como nossos representantes a União Gaúcha J. Simões Lopes Neto, O CTG Carreteiros do Sul e o CTG Cel. Thomaz Luiz Osório.

O Encontro de Artes e Tradição Gaúcha (ENART) é um evento a nível estadual, considerado o maior festival de arte amadora da América Latina. Descendente do antigo estadual FEMOBRAL (popularmente MOBRAL).

É promovido pelo Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), realizado desde 1986, sendo que desde 1997 ocorre no Parque da Oktoberfest em Santa Cruz do Sul. É realizado anualmente, em três etapas: regionais, inter-regionais e final. Envolve competidores de todo o estado do Rio Grande do Sul, e espectadores de todo o mundo. Estima-se haver mais de dois mil concorrentes por ano, somente na categoria de Danças Tradicionais (entre força A e força B) e mais de 60 mil espectadores na fase na final.

Danças Tradicionais
É a modalidade mais importante do ENART e é dividida em Forças A e B. São 80 grupos, sendo 40 em cada divisão. Cada um tem 20 minutos para fazer sua apresentação, que inclui entrada (dança de criação livre, mas inspirada em elementos da tradição gaúcha), três danças clássicos tradicionais e saídos (mesma premissa da entrada).

São 25 danças tradicionais, entre elas Tatu com Volta-no-meio e Tirana-do-lenço, Anú e Queromana, Chimarrita e Cana-verde, Chotes de Sete-voltas e Chotes Carreirinho, além de temas de características especiais, como o Chotes-de-Duas-Damas, temas ensaiados como o Pau-de-Fita, temas das brincadeiras do Cottilón, como a Meia-Canha, e etc.

As danças do concurso possuem embasamento em um livro, editado pelo MTG/RS, chamado “Danças Tradicionais Gaúchas”, elaborado por instrutores e dançarinos do próprio evento (diferente do livro que baliza outros eventos do próprio MTG, como o atual FEGADAN, “Festival Gaúcho de Danças”, baseado somente nas obras dos folcloristas, João Carlos Paixão Côrtes e Luiz Carlos Barbosa Lessa). Os grupos só tomam conhecimento de quais danças apresentarão poucos minutos antes do espetáculo, por meio de um sorteio.

A avaliação leva em conta critérios técnicos e minuciosos de quesitos, avaliados a parte, como harmonia, interpretação artística e correção coreográfica, além de indumentária e da avaliação musical. Cada grupo de dança tem um conjunto musical próprio, que toca as músicas ao vivo.

Após as explicações, somente nos resta desejar BOA SORTE
a todos que irão competir representando a 26ª Região
Tradicionalista.

ATÉ A VITÓRIA!

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome