Gentileza realmente gera gentileza?

Será mesmo que gentileza gera gentileza? Sempre questiono muito esses ditados populares, pois eles, muitas vezes, generalizam o comportamento das pessoas, só que cada pessoa está em um estágio evolutivo e não estou falando só do espiritual, mas também evolução emocional e intelectual.

Então quando usamos demais os ditados populares, mas principalmente aqueles que trazem comportamentos exemplares, acabamos nos frustrando, porque esperamos que as pessoas reajam da mesma forma que nós, criando expectativas irreais, pois volto a reforçar: cada um está em um estágio evolutivo e desta forma dá aquilo que tem condições naquele momento da sua vida.

Além de estágio evolutivo, cada pessoa tem suas próprias características, valores pessoais, cultura em que foi criada, hábitos particulares, genética, traumas vividos, experiências adquiridas, entre outros fatores que juntos e somados formam uma pessoa em quem ela é.

Busco considerar todas as variáveis e me conscientizar de que precisamos ser gentis sem esperar nada em troca. Ser gentil apenas por ser gentil e não porque isso vai trazer algum retorno ou benefício, simplesmente por fazer, para que eu própria me sinta bem pela minha atitude.

Estamos no meio do último mês de um dos anos mais complexos de nossas vidas e quantas vezes criamos expectativas ao longo deste período?! Quantas vezes acreditamos que através do nosso comportamento as pessoas agiriam de acordo com ele?! Mas não, as pessoas agem como conseguem, certo ou errado, cada um se comporta dentro de suas limitações, de acordo com seu repertório.

Eu levei um tempo para entender isso. Também acreditava que gentileza gerava gentileza, mas aos poucos fui vendo que não, que ser gentil apenas traz uma sensação boa para mim mesma, mas que nem sempre o outro se comporta de forma gentil e que nem sempre o sentimento de gentileza toma conta do ambiente.

O que é importante termos para nós é que quando fazemos algo por alguém ou por um grupo de pessoas, precisamos estar cientes de que nem sempre teremos o resultado que desejamos. Precisamos criar o movimento de fazer por fazer, porque simplesmente fazer bem faz com que a gente se sinta bem e não porque o outro fará o mesmo bem para nós.

Eu trago isso de 2020, quero levar isso para 2021 e pelo resto da minha vida. Saber, por exemplo, que ser gentil é algo que faz bem a mim mesma, independente de como as pessoas reagirão com o meu comportamento. Te desejo o mesmo, fazer pelos outros de bom grado porque o maior beneficiário somos nós mesmos. Isso, sem dúvidas, traz mais resultados do que criarmos expectativas e esperarmos gentileza pelo fato de termos sido gentis. Que sejamos gentis uns com os outros apenas por ser não para receber. O que acha de colocar isso na tua lista de desejos para o ano que se inicia?

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome