Dimas Costa

Escritor e historiador Cássio Lopes.

Dimas Noguez Costa nasceu em Bagé, em 20 de janeiro de 1926. Filho de Sócrates Pereira Costa e de Amélia Noguez Costa.

Seu primeiro emprego foi como operador de som na Rádio Cultura de Bagé, na época de sua fundação. Na Rainha da Fronteira também exerceu atividades nas Secretarias de Administração e de Cultura do município. Alguns anos após, transferiu-se para Porto Alegre, onde apresentou, na década de 1950, os seguintes programas regionalistas, nas Rádios Farroupilha e Gaúcha: Grande Rodeio, Festança na Querência (com Paixão Cortes), Céu e Campo, Entardecer na Querência, Pelos Caminhos do Pago e Alma do Rio Grande (com Paixão Cortes).

O “Xiru Divertido”, como era conhecido, foi declamador, sendo cofundador e membro da Estância da Poesia Crioula, desde 1957, em Porto Alegre, onde promovia os cursos de declamação e de violão, em parceria com a professora Ervina da Luz.

Apresentou, por longo tempo, programas gaúchos nas TVs: Bandeirantes, Educativa e Difusora de Porto Alegre.

Compositor musical nativista, é autor do conhecido Parabéns Crioulo, em parceria com Eleu Salvador, que foi gravada por José Mendes, e cantada por todo Rio Grande do Sul, Brasil afora e exterior.

Teve atuação no cinema, também voltado a temas regionalistas, onde trabalhou como ator em filmes de José Mendes e Teixeirinha.

É considerado por muitos como um dos pioneiros na promoção do “gauchismo” em nosso estado, tendo, inclusive, desempenhado atividades na Secretaria de Cultura do Estado do Rio Grande do Sul.

Escreveu e publicou os seguintes livros:

Céu e Campo – Poesia, parceria de A. Amaral da Silva (1954); Pampa Bravo – Poemas Gauchescos (1958); Cantares da Terra – Pequena Coleção de Músicas Regionais, compilação e parceria de J. Ferreira (1960); Três Poemas de Destaque – Sequência de “Pampa Bravo” (1961); Pelos Caminhos do Pago – Prosa e Verso (1963); O Piazito Contador de Histórias 1º Volume – História Prosa e Verso para Crianças (1967); Céu, Pampa e Pago – Seleção dos seus três livros de Poemas (1968); Poesias Gauchescas para Moças e Crianças (1973); Fanfarronada – Poemeto Regional Humorístico (1977); Heranças Campeiras – Poemas Regionais (1978); Carta à Mãe Natureza e Novos Poemas (1979); Tarca – versos gauchescos (1981); Novas Poesias para Moças e Crianças Nativistas (1986).
O folclorista também gravou alguns LPs com músicas e poesias gaúchas.
Faleceu em Porto Alegre no dia 11 de julho de 1997.

Pelos seus relevantes serviços prestados à comunidade bageense, regional e estadual, em 2009 seu nome foi imortalizado no Parque do Gaúcho, através de um projeto de lei de autoria do então vereador Silvio Nunes Machado.

Fontes:
Garcia, Elida Hernandes. “Escritores Bageenses”, Bagé, Editora Praça da Matriz, 2006.232 p.
Lopes, Mário Nogueira. “Personalidades de um século em Bagé – Volume II”, Bagé, Gráfica Instituto de Menores, 2014.106 p.
http://www.jornalfolhadosul.com.br/mobile/noticia/2013/11/14/parque-do-gaucho-recebe-denominacao-de-dimas-costa-dia-16
http://www2.al.rs.gov.br/biblioteca/LinkClick.aspx?fileticket=KGFhFCn32Fk%3D&tabid=3101
http://galpaodapoesiacrioula.blogspot.com/2013/01/dimas-
costa.html?m=1

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome