Autenticidade, um grande investimento!

Às vezes fico refletindo sobre a quantidade de conceitos equivocados que temos das nobres palavras do dicionário. Muitos termos e palavras foram vinculados a situações erradas e assim se consolidaram, porém, precisamos rever o conceito de muitas palavras, desconstruir o paradigma e trazê-las para o nosso dia a dia usando-as da forma correta.

Autenticidade é uma delas. Por muito tempo percebi que ser autêntico estava vinculado a algo errado, pois aprendemos que querer ser quem você é, é uma forma de afronta e afronta é algo ruim, remete à agressividade, ao desrespeito, tipo falar o que pensa, sem medir palavras e deixando a empatia de lado. Ser autêntico transmitia a sensação de negligência, de arrogância, de narcisismo, mas não, felizmente, autenticidade é uma das coisas mais lindas que eu já vi e que tenho vivido.

Como eu disse precisamos rever o nosso paradigma em relação a esta palavra e acolhê-la de forma que ela nos traga seus verdadeiros benefícios. Ser autêntico não tem nada a ver com desrespeito, agressividade, arrogância e negligência. Ser autêntico tem a ver com autoconhecimento, com conhecer seus verdadeiros gostos, suas verdadeiras paixões, suas verdadeiras habilidades. Ser autêntico é trazer para o mundo sua essência e colocá-la em prol de todas as pessoas. É viver uma vida respeitando os seus valores mais profundos e a sua própria verdade.

A busca pela autenticidade é uma bela jornada, é onde conseguimos identificar aquilo que nos afeta positivamente e aquilo que nos afeta negativamente. É conseguir dar limites, é investir no que e em quem nos faz bem, é aproveitar a vida de uma forma equilibrada, respeitando os nossos próprios desejos e sendo empático em relação aos desejos das outras pessoas.

Viver a nossa autenticidade nos traz paz interior, relacionamentos mais verdadeiros e mais saudáveis, nos faz lidar com as adversidades de forma mais leve, nos faz encontrar caminhos infinitos para a nossa felicidade e nos faz sermos mais otimistas em relação à vida.

Não precisamos ter medo de ser quem realmente somos, precisamos sim nos despir de toda informação, pré-conceitos e crenças limitantes que fomos adquirindo ao longo da vida para dar espaço para o nosso verdadeiro eu, para olhar para nós mesmos e descobrir quem realmente somos e viver isso intensamente. Podemos e devemos investir na nossa autenticidade por respeito a nós mesmos e com respeito aos outros.

Então, se posso dar um conselho, eu digo: “Não deixa para depois este encontro, o encontro com a tua autenticidade, mas tente não só encontrá-la, mas vivê-la, experimentá-la, saborear cada pontinho dela, porque quando a gente menos espera a vida passou e a gente deixou de ser quem a gente realmente nasceu pra ser. Viva a sua autenticidade com toda a sua energia e compartilhe-a, pois o mundo espera por pessoas de verdade.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome