Pinheiro Machado: 37ª Feovelha tem programação diferenciada neste ano

Evento terá remates e julgamentos em transmissões ao vivo (Foto: Arquivo/Eunice Garcia)

Desde a quinta-feira (28), o Sindicato Rural de Pinheiro Machado promove a 37ª Feira e Festa Estadual da Ovelha (Feovelha). Neste ano, devido à pandemia do novo coronavírus, o evento passou por modificações, contando apenas com a parte técnica e comercial, com entrada gratuita. O primeiro dia foi marcado pela chegada dos animais no Parque Charrua. Já nesta sexta-feira (29) e sábado (30), acontecem remates e julgamentos. As atividades festivas e culturais não serão realizadas para evitar aglomerações.

Segundo o presidente da Junta Governativa, Heber Farias (Tripó), a modificação foi necessária para que o evento fosse realizado. “É nossa obrigação, como entidade, romper essas barreiras impostas pelo vírus e continuar oportunizando a comercialização de ovinos de alta qualidade genética e das mais diversas raças, como já é tradicional do evento para o nosso produtor rural. É ele o nosso público-alvo e, por isso, a 37ª edição é exclusivamente técnica e comercial”, explicou.

A principal novidade da Feira é a transmissão ao vivo de todos os remates e julgamentos, um investimento que busca alcançar os ovinicultores. O internauta que estiver acompanhando a rede social vai ficar informado do que está acontecendo no Parque Charrua em tempo real. A transmissão dos remates será realizada pelo YouTube do Sindicato Rural de Pinheiro Machado e pela página do Facebook da Feovelha. Já a transmissão dos julgamentos é responsabilidade de cada uma das raças e o link será divulgado no Facebook da Feovelha.

De acordo com o presidente, foi possível construir um evento remodelado, com restrições, mas que traz a oportunidade para os produtores renovarem os rebanhos e investirem em animais de qualidade.

Para evitar aglomerações, a equipe de trabalho do Sindicato, junto à Secretaria Municipal de Saúde estará fiscalizando e orientando a população sobre os cuidados necessários dentro do parque. “Entendemos que cada um fazendo a sua parte não colocará em risco a vida das pessoas, por isso vamos fazer o possível para orientar e sensibilizar sobre a necessidade de cuidar de si e dos outros seguindo os protocolos sanitários”, afirmou Tripó.

O presidente da Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (ARCO), Edemundo Gressler, salientou que as feiras do calendário de verão vêm acontecendo de forma presencial e virtual. “Os organizadores estão atentos aos protocolos de prevenção à Covid-19, cumprindo rigorosamente conforme a exigência da Vigilância da Saúde de cada município”, comentou.

Segundo Gressler, a ovinocultura vive um momento empolgante, com mercado aquecido. “A expectativa de comercialização na Feovelha é muito boa. A busca de reprodutores certificados tem aumentado significativamente e a carne de cordeiro é altamente procurada no mercado. Todos esses fatores impulsionam e movimentam a ovinocultura”, frisou.

Em 2020, na 36ª edição, foram comercializados 2.677 ovinos e o faturamento total foi de R$ 1.327,150. O número de animais superou em 1.027 a edição de 2019. A média geral por animal foi de R$ 465,99 (6,5% a mais que 2019). As borregas atingiram a maior média da feira, R$ 465,00. Entre as raças com maior volume de animais ofertados, a Ideal obteve a maior média: R$ 701,71 com 474 animais. A raça Corriedale registrou R$ 580,25 com 527 animais.

O Rematão, que é considerado carro-chefe do evento, no ano passado faturou R$ 800 mil, um aumento de 80% em relação à edição de 2019. O número de animais apresentou aumento de 60% (na edição de 2019 foram vendidos no primeiro dia 1.512 ovinos). A média foi de R$ 328,13 e incremento de 12,7% em relação a 2019 (R$ 291,00 por animal).

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome