Longe, mas sempre perto: Pinheirenses deixam depoimentos pelos 146 anos do município

Confira os depoimentos de pinheirenses que deixaram sua terra natal em busca de novos horizontes e demonstram seus sentimentos, saudades, anseios e desejos.

Luana Farias Garcia
professora e pedagoga concursada
Santana do Livramento/RS

“Falar de Pinheiro Machado é falar de memórias afetivas, da infância, da vida no campo e dos banhos de rio no nosso maravilhoso Camaquã. Saí de Pinheiro Machado em 2017, mas toda oportunidade que tenho como feriados, recesso e férias, volto para lá, minha mãe reside lá (2º distrito), tenho familiares e amigos. Também gosto de comprar nas lojas de confecções, continuo cliente do comércio pinheirense. Adoro quando encontro alguém que também é natural de Pinheiro Machado ou conhece o município. Sabemos que todo município tem suas dificuldades as quais costumamos apontar, mas também, como bairristas, só nós podemos opinar. Parabéns, Pinheiro Machado pelos 146 anos, desejo muita prosperidade ao munícipio! Que os governantes busquem o desenvolvimento e, como professora, espero que os profissionais da educação sejam valorizados. É através da educação que se modifica uma realidade”.

Nathanna Peres
arquiteta e urbanista
São Leopoldo/RS

“Pinheiro Machado. Fica entre Pelotas e Bagé!” Assim que me explico quando perguntam de onde sou. E se tenho a oportunidade de continuar a conversa, enalteço minha cidade com um sorriso no rosto. Lugar onde cresci e aprendi sobre a vida. Cidade que me preparou para o mundo. Hoje não é mais minha casa, mas é “casa de mãe”. É lembrar com carinho do simples e do básico como o “bom dia” do vizinho, de cumprimentar sem ao menos conhecer, de poder andar livremente a pé, é lugar do carinho e reconhecimento que recebo de cada amigo que ficou e de clientes que conquistei. Nesses 146 anos de existência e sobrevivência, desejo que busquem pela qualidade de vida de quem fica e pelo desenvolvimento de quem sai. Que a área da educação seja valorizada para preparar os jovens e não os perder. Para que quando saírem – e se saírem –
levem consigo sua história e, então, Pinheiro Machado sempre viverá. Além da gratidão, minhas felicitações por tantas histórias, lutas e conquistas. Parabéns, Pinheiro Machado, Cacimbinhas ou carinhosa Terrinha”.

Nardélea Giusi Alves Ferreira
conselheira tutelar
Santa Vitória do Palmar/RS

“São 146 anos de histórias e memórias. Parabéns, Pinheiro Machado! Me orgulho de dizer que sou desta terra e por onde passo compartilho as riquezas deste lugar, desde gastronomia, cultura e festividades como nossa Feovelha – a qual já representei. Mesmo longe há 17 anos, acompanho pelas redes sociais e quando posso visito. Feliz em ver governantes buscando um lugar melhor para viver e cuidando dos Pinheirenses. Desejo um lugar próspero e que a cada visita minha eu possa olhar e dizer está nas mãos certas! Parabéns Pinheiro Machado, vida longa!”

Gisieli Melo
engenheira de produção
Brasília/DF

“Sou nascida e criada em Pinheiro Machado e, recentemente, deixei a minha cidade em busca de oportunidade profissional. Meu companheiro Roger Kurz foi promovido no trabalho dele para Brasília e eu vim junto em busca do nosso crescimento profissional e pessoal. Vivemos uma aventura ao percorrer quase 2.500 km de carro do Sul até o Distrito Federal, acompanhados dos nossos pets, três cachorros e uma gatinha.
Pinheiro Machado é cidade pequena, mas acolhedora. Ainda tem poucas oportunidades de emprego – o que obriga muita gente a deixar a cidade. Lembro quando pequena, em época de Feovelha, a cidade movimentava, o comércio movimentava, os pinheirenses migravam para casa dos fundos ou a garagem para alugar a casa principal e acomodar as pessoas que vinham de diversos lugares para prestigiar nossa Feovelha e a Comparsa da Canção. Hoje, é outra realidade. Um pouco dessas coisas se perderam em nossa cidade. Desejo que nossos governantes tenham um olhar diferenciado e busquem alternativas para o desenvolvimento da cidade. Sou feliz como estou e onde estou, mas um dia voltarei pra minha cidade natal. Parabéns para a Capital da Ovelha!”

Matheus Alves Rodrigues
engenheiro de materiais
Vitória/ES

“Nascido e criado nas pacíficas paisagens de Pinheiro Machado, sempre carrego comigo as tradições e os valores enraizados em minha terra natal. No entanto, as circunstâncias da vida me levaram além das fronteiras do Sul, rumo à capital do Espírito Santo, em busca de independência e novas oportunidades. A decisão de deixar minha cidade natal não foi fácil, mas eu estava determinado a perseguir meus sonhos e explorar novos horizontes. Com coragem e determinação, embarquei em uma jornada que me levou a descobrir minha própria força e habilidades. Na capital do Espírito Santo, enfrentei desafios e adversidades, mas também encontrei oportunidades de crescimento pessoal e profissional. Apesar da distância geográfica, o meu coração sempre permanece ligado a Pinheiro Machado. As memórias da infância, as lições aprendidas com meus pais e avós, também a calorosa comunidade local continuaram a inspirar, mesmo quando eu estava longe. A tradição e os valores transmitidos por minha cidade natal se tornaram uma fonte constante de apoio e orientação em minha jornada rumo à independência.

Hoje, olho para trás com gratidão pela jornada que me trouxe de Pinheiro Machado ao Espírito Santo. Reconheço que minha terra natal sempre será parte de quem eu sou e sei que posso contar com o apoio e o carinho de todos, não importa onde a vida me levar. Parabéns, Pinheiro Machado, pelos 146 anos de histórias!’

Márcio Régio
chefe da Divisão de Patrimônio, Compras e Transportes da Secretaria Estadual de Sistema Penal e Socioeducativo
Porto Alegre/RS

“De cacimbinhas para o mundo! Essa é a triste realidade de grande parte das pessoas que precisam trabalhar ou estudar. A falta de emprego e instituições de ensino em nível técnico e superior obrigam a esse êxodo. Deixamos para trás nossa família, amigos e a própria casa em busca de um futuro melhor. Com o passar dos dias, aumenta a saudade e vontade de estar com quem amamos, mas isso só é possível nos finais de semana, que para piorar passam ‘voando’. Percebo que esse é um processo que vai seguir ao longo dos anos. Hoje, morando na capital Porto Alegre, me divido em viagens para Florianópolis, onde mora um dos meus filhos, e Pinheiro Machado, que reside meu outro filho e a namorada. E a vida é feita de escolhas e não nos permite parar, pois os desafios, lutas e conquistas serão possíveis apenas dessa forma. Como digo aos meus filhos, ‘bem-vindos a vida’!”

Jairo Egino Dutra Garcia
empresário e sócio proprietário da Empresa Acmon Soluções para Frotas
Guarapuava/PR

“Pinheiro Machado… O lugar onde eu como o melhor churrasco de ovelha. Pra quem já provou, é impossível comer carne de ovelha em outro lugar do mundo e não lembrar Pinheiro Machado. E eu, bairrista que sou, nunca perco a oportunidade de dizer como que aprendi a assar e temperar essa iguaria. Mas, sinceramente, a lembrança é muito além do sabor e tempero e, sim, as pessoas, os momentos, as histórias e a cultura que são quase impossíveis de descrever. Saí cedo de Pinheiro Machado pela falta de recursos no interior. Com 14 anos, precisei ir para outro município continuar os estudos. Mas, apesar do curto período, carrego a essência de uma infância ímpar vivida no campo, com muita natureza, liberdade e forte tradição gaúcha. Por essas e muitas outras experiências, Pinheiro Machado sempre será pra mim a referência dos conceitos que carrego de família, querência, cultura e tradição. Parabéns, Pinheiro Machado, pelos 146 anos e obrigado por tudo que me ofereceu.”

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome