Em Pinheiro Machado, Renato do Caminhão promove ação de Natal para as crianças

Desde 2011, festa de Natal é realizada para as crianças em vulnerabilidade social (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)

Quando chega dezembro, as luzes de Natal se acendem, a esperança de dias melhores renasce e a magia natalina desperta a solidariedade no coração das pessoas. Assim aconteceu com o pinheirense Renato Rodrigues, popularmente conhecido como Renato do Caminhão.

Para ele, o último mês do ano remete ao renascimento, celebração, agradecimento e doação em prol dos menos favorecidos. Foi com esse espírito solidário que surgiu a festa de Natal do Renato do Caminhão. “Tive uma infância muito pobre e não tinha brinquedos, brincava apenas com peças que confeccionava com pedaços de madeira e outros materiais que reutilizava”, relatou.

Morador da zona rural e com dificuldades financeiras que o impediam de comprar um brinquedo, ainda menino, Renato sonhava em trabalhar para melhorar de vida e queria também ajudar as crianças carentes. O sonho dele se tornou realidade e desde que começou a trabalhar, buscou contribuir de alguma forma com os menos favorecidos.

Em 2011, surgiu a ideia da festa de Natal e de lá para cá, o evento é promovido todos os anos, oferecendo presentes, bolo e refrigerante para a garotada, além de diversão, sendo a chegada do Papai Noel o momento mais aguardado. “O brilho nos olhos dos pequenos, o sorriso em cada rostinho é algo que não tem preço. Fico muito satisfeito e emocionado de proporcionar esse momento de alegria para as crianças”, declarou.

Para a realização da festa, Renato conta com a ajuda da família. A esposa Andreia de Souza é parceira no projeto desde o início, preparando o bolo de 2,70m que é servido para a comunidade. Sozinha, ela prepara as massas e os recheios, além de montar o bolo. Para confeitar, recebe ajuda de Lúcia Gantes, que é confeiteira e integra a ação.

Segundo Andreia, a festa exige bastante trabalho durante a organização. “Abracei a ideia do meu marido e é algo muito gratificante. Quando finalizo todo o processo me sinto em paz e o sentimento é de dever cumprido”, disse.

O adolescente José Ruan Goulart, de 12 anos, conta que desde pequeno a mãe o levava para ganhar presentes e se divertir nos brinquedos infláveis durante a festa. “Foi lá que eu vi o Papai Noel pela primeira vez e sempre participei das festas. A fila é muito grande para receber o presente. Todas as crianças vão para lá”, comentou.

A pandemia de coronavírus impediu que neste ano o evento fosse realizado, mas Renato não desistiu de presentear as crianças e está organizando uma surpresa. Caracterizado de Papai Noel, vai percorrer as ruas da cidade distribuindo doces, balas e presentes em uma caminhonete aberta, garantindo a alegria da criançada no final de ano, respeitando o distanciamento social, previsto para acontecer durante o dia de Natal.

Segundo ele, as despesas da festa fazem parte do orçamento da família e quando a pandemia começou já havia comprado brinquedos. “Já inicio o ano pensando no Natal da criançada e me organizo para comprar tudo que é necessário em meses alternados. Apesar de todas as dificuldades enfrentadas ao longo de 2020, vamos levar alegria de porta em porta”, concluiu.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome