Pelotas: Novo decreto exige 50% da capacidade em estabelecimentos como bares e restaurantes

Bar e Restaurante (Foto: Reprodução/ Freepik)

Um novo decreto com medidas para diminuir a transmissão da Covid-19 em Pelotas estabelece que locais como bares, restaurantes, festas, shows, casas noturnas e similares funcionem com no máximo 50% da capacidade prevista no Plano de Prevenção e Proteção contra Incêndio (PPCI). A medida foi anunciada pela prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) em transmissão ao vivo nas redes sociais nesta terça-feira (1º).

O decreto entrará em vigor nesta quarta-feira (2) e terá vigência até o dia 9, podendo ser prorrogado. O texto ainda reforça outros protocolos, como a exigência no uso de máscaras, disponibilização de álcool gel, distanciamento social e medição de temperatura. “Vamos exigir e vamos multar quem não cumprir”, afirmou Paula.

Além disso, o passaporte vacinal também passará a ser exigido na entrada em bares, restaurantes e lanchonetes, assim já ocorre em eventos, competições esportivas, cinema e outros ambientes. “A gente não obriga as pessoas a se vacinar, a gente não pode obrigar, então que permaneça na sua casa, que faça a sua comida, que encomende, mas que não vá a um restaurante, colocar em risco a vida de outras pessoas”, declarou a prefeita. Também ficará vedado o consumo de alimentos e bebidas em pé e eventos com mais de mil pessoas deverão encaminhar solicitação para a Secretaria de Gestão da Cidade e Mobilidade Urbana (SGCMU), que poderá elaborar protocolos de segurança.

Prefeita Paula Mascarenhas anunciou novo decreto em transmissão pelas redes sociais nesta terça-feira (1º). (Foto: Rodrigo Chagas/Prefeitura de Pelotas)

“A gente não podia ficar de braços cruzados”, disse Paula. Segundo ela, a decisão foi tomada somente agora porque esperava a adoção de um protocolo regional contra a Covid-19, o que não foi consenso entre outros prefeitos da Associação dos Municípios da Zona Sul (Azonasul). “Por isso, hoje, eu decidi fazer um protocolo municipal”, disse. Há três semanas o município vêm batendo recordes de casos confirmados, que somavam 63.819, segundo a última atualização, na segunda-feira (31).

A chefe do Executivo também disse que pensou em promover restrições de horários, mas que a medida deveria ser tomada em âmbito regional, considerando que poderia haver perdas econômicas ao comércio de Pelotas pela migração dos compradores para outros municípios.

Vacinação infantil

Paula também afirmou que o agendamento da vacinação está interrompido pela falta de doses de vacinas, e que aguarda a chegada de novos lotes para que seja retomada.

 

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome