Mais de 30 mil pessoas estão com a 2ª dose em atraso em Pelotas

Durante live pelas redes sociais, a prefeita Paula Mascarenhas reforçou a necessidade de completar o esquema de imunização com a segunda e terceira doses. (Foto: Gustavo Vara/Prefeitura de Pelotas)
Até esta terça-feira (16), mais de 30 mil pessoas estavam com a segunda dose da vacina contra o coronavírus atrasada em Pelotas. Durante transmissão ao vivo nas redes sociais, a prefeita Paula Mascarenhas alertou a população acerca dos números preocupantes e da necessidade de completar o esquema de imunização contra a doença. São 16.292 aplicações de Pfizer referentes à segunda dose em atraso, que, somadas às 10.854 de AstraZeneca e 3.756 de CoronaVac, chegam a 30.902 cidadãos com o complemento vacinal pendente.
Existem, ainda, 15.023 pessoas com a terceira dose em atraso, sendo 11.563 de CoronaVac, 3.149 de AstraZeneca e 309 de Pfizer. A dose de reforço passou, a partir desta terça-feira, com a publicação do Informe Técnico nº 19, a ser destinada a idosos com 60 anos ou mais e profissionais da saúde que receberam a segunda dose há cinco meses (anteriormente, esse intervalo era de seis meses). Esse anúncio foi feito pela chefe do Executivo pelotense, também na live.
“Todos os dias, temos profissionais vacinando. São mais de 30 locais destinados à imunização e que estão recebendo a população. Temos as Unidades Básicas de Saúde (UBSs), de segunda a sexta-feira; no sábado, a Escola Coronel Pedro Osório; às noites, o Shopping Pelotas: e, eventualmente, temos o drive-thru”, defendeu a gestora municipal, fazendo um apelo aos cidadãos para que completem o esquema vacinal.
A busca pela vacinação, de acordo com a titular da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Roberta Paganini, é uma demonstração de “prevenção, proteção e autocuidado e cuidado com os outros que estão ao redor. Trata-se de uma manifestação de respeito por si e pelo próximo”, afirmou.  A chefe da Vigilância Epidemiológica, Aline Machado da Silva, corrobora ao lembrar que a imunização só é efetiva após 14 dias do recebimento da segunda dose. “Precisamos aumentar a cobertura da população vacinável com a segunda dose. Só assim, com o esquema vacinal completo, vamos controlar a pandemia do coronavírus”, frisou.
D.R.P. de 39 anos recebeu a segunda dose com cerca de três semanas de atraso da data prevista, devido à agenda de trabalho e às mudanças no drive-thru, no Centro de Eventos, que passou a ser realizado de forma eventual. Assim, ele foi até o Shopping Pelotas, onde as aplicações se estendem até as 21h. Apesar do atraso, completou o esquema de imunização para proteger a si, à família e, principalmente, seu filho pequeno. Além disso, o ambiente que D.R.P. trabalha reconhece o valor da imunização e exige o passaporte vacinal.
Protocolos sanitários e volta às aulas
Ainda durante a transmissão ao vivo, Paula Mascarenhas falou sobre o retorno obrigatório ao ensino presencial na rede municipal, estabelecido pelo Decreto Estadual 5.671/2021. A importância de estar em sala de aula – um ambiente formador de convívio social e conhecimento – e de voltar a conviver com os hábitos e culturas das instituições de ensino foram reforçados pela prefeita.  Novembro será, portanto, um mês essencial e, conforme o andamento, serão feitas adequações para que, em 2022, todos estejam efetivamente preparados para um ano de muita aprendizagem.
“Se tem um lugar seguro, neste momento, são as escolas, que cumprem rigorosos protocolos estabelecidos com muito cuidado e com muita análise pelas vigilâncias Epidemiológicas e Sanitárias do Município e Estado. Todos os educandários foram verificados e fiscalizados antes de abrir as portas e todas as mudanças necessárias foram feitas para criar um ambiente seguro, acolhedor e protegido para nossas crianças”, completou a gestora.
A adesão às determinações estaduais que versam sobre protocolos sanitários, através do Decreto Municipal 6.494/2021, também foi citado na live. Foi destacado que as mudanças e flexibilizações são preparadas por profissionais especializados que formam o Comitê Técnico do governo do Estado. Para que essas alterações continuem vigentes, é necessário que a população cumpra as determinações, como uso de máscara de proteção, distanciamento social e higiene, além da busca pela vacinação e atenção aos sintomas gripais, buscando os serviços de saúde.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome