Solenidade na 95ª Expofeira Pelotas marca os 50 anos da Vetesul

Solenidade na Expofeira marcará os 50 anos da Associação. (Foto: Divulgação)

A noite de quarta-feira (6) deve ser de muita nostalgia e grande emoção, pois marcará os 50 anos da Associação dos Médicos Veterinários da Zona Sul (Vetesul). A solenidade, que será realizada às 20h, na Casa da Amizade, irá reunir diretores, associados, ex-presidentes e familiares, representantes da Faculdade de Agronomia, Veterinária e Zootecnia da UFPel, Associação Rural de Pelotas e presidentes dos Diretórios Acadêmicos (Veterinária e Zootecnia). O evento servirá para celebrar e rememorar os tempos áureos da entidade, que reúne os médicos veterinários de Pelotas e Zona Sul.

Está confirmada a presença de Otaviano Pereira Neto, filho do primeiro presidente da entidade, João Carlos Mascaranhas Alves Pereira, que foi professor da UFPel e diretor do antigo Laboratório Leivas Leite. Fundada em 18 de junho de 1971, a Vetesul se destacou por longos anos, como entidade responsável pela realização de eventos técnicos-científicos e sociais, congregando os médicos veterinários e contribuindo para sua formação e atualização.

Atualmente, a entidade é presidida pelo médico veterinário Rogério Bermudes, que assumiu em novembro de 2019, juntamente com outros dez profissionais. O objetivo maior é o de “retomar os tempos áureos da instituição”.

Nova diretoria da Vetesul, em encontro antes da pandemia. à esquerda, o presidente Rogério Bermudes e ao centro, sentado, o segundo vice-presidente, Fernando Freitas de Souza. (Foto: Divulgação)

Trazendo um pouco da história, o médico veterinário Fernando Freitas de Souza, ex-presidente da entidade e atual segundo vice-presidente, relembra alguns fatos marcantes que ligam a história da Medicina Veterinária com a da Vetesul. Ele integrou a terceira turma de médicos veterinários formados na UFPel, entre os anos de 1971 e 1974. “Em 1975, eu já estava envolvido na Vetesul”, lembra.

Segundo ele, a profissão de médico veterinário foi regulamentada em 1933, no governo de Getúlio Vargas, em 9 de setembro, data em que se comemora o Dia do Médico Veterinário, quando a profissão passou a existir de fato e de direito. “Um fato que contribuiu para a fundação da Vetesul foi a criação em outubro de 1968 dos Conselhos Federais de Medicina Veterinária e respectivos Conselhos Regionais e Estaduais”, conta.

A primeira gestão do Conselho RS foi de 1969 a 1972. Ele relata que o fato determinante para que a Vetesul se tornasse realidade foi a criação, em 1969, do curso de Medicina Veterinária da UFPel. Na época, foram contratados professores, formados em Santa Maria e Porto Alegre. “Em 8 de agosto de 1969 foi iniciada a primeira turma de estudantes de Veterinária, que se formou em 1972; a entidade chegou a ter mais de 300 associados. Todos os professores da Veterinária da época eram sócios”, diz.

Na época da fundação da entidade, existiam três faculdades de veterinária no Rio Grande do Sul e 28 no Brasil. Hoje, há 480 em todo o País.

Em relação a sede existente no parque da ARP, era de propriedade da Associação dos Criadores de Suínos (ACSURS), erguida por terceiros em terreno em comodato com a Associação Rural. Em 1989, o veterinário Celso Medina Fagundes, propôs a aquisição de metade do prédio para uso em comum entre ACSURS e Vetesul. Posteriormente, o núcleo local da ACSURS se retirou, transferindo a propriedade para a entidade dos médicos veterinários, que firmou novo contrato de comodato com a ARP de 20 anos, renováveis por outros 20 anos. Conforme Souza, até 1989, a Vetesul não possuía sede, era itinerante e passava a ser no domicílio ou local de trabalho do presidente.

Ele relembra que o primeiro evento da entidade foi um Encontro de Parasitologia, realizado no mini-auditório da então Escola Técnica Federal de Pelotas (ETFPel), com capacidade para 130 lugares. O evento foi um sucesso e superou as expectativas de público. Além disso, era tradicional a realização de jantares ou almoços anuais, comemorativos ao Dia do Veterinário.

Em 1990, foi realizado o 1º Simpósio de Bovinos de Leite, que passou a ser intercalado com o de bovinos de corte. Ao todo, foram realizados oito simpósios de leite e nove de bovinos de corte, dois encontros de avicultura, oito simpósios de pequenos animais, um de reprodução em bovinos, dois seminários de animais silvestres e exóticos e seis de ovinocultura, todos na gestão da presidente Gessi Guerreiro.

As reuniões eram quinzenais e sempre às segundas-feiras. Em épocas de organização dos simpósios, passavam a ser semanais. Segundo Souza, os eventos contavam com a parceria de indústrias e laboratórios locais, e o Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV) sempre foi parceiro nessa longa jornada, possibilitando a vinda de profissionais de outros Estados.

Entre os planos futuros da Vetesul, atualmente presidida pelo professor doutor Rogério Bermudes, a revitalização da entidade é a prioritária, fazendo com que antigos e novos profissionais se filiem. O prédio foi remodelado com a pintura e cursos presenciais e on-line (seguindo os protocolos da Covid-19) estão sendo organizados. Bermudes ressalta que as Entidades de Classe são as responsáveis, não só por representar os profissionais perante o sistema, mas também, têm o papel de promover a valorização e aperfeiçoamento profissional através de cursos, palestras, revistas técnicas, entre outros.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome