PSDB confirma pré-candidatura de Fernando Estima à prefeitura de Pelotas

Fernando Estima, candidato tucano a suceder a prefeita Paula Mascarenhas (PSDB), foi anunciado em um café da manhã com a imprensa e com lideranças políticas e teve a presença do governador Eduardo Leite (PSDB). (Foto: Douglas Dutra/JTR)

Por Douglas Dutra

O PSDB confirmou o nome de Fernando Estima como pré-candidato a prefeito de Pelotas nas eleições municipais deste ano, com primeiro turno marcado para 6 de outubro. O candidato tucano a suceder a prefeita Paula Mascarenhas (PSDB), prestes a encerrar seu segundo mandato, foi anunciado em um café da manhã com a imprensa e com lideranças políticas e teve a presença do governador Eduardo Leite (PSDB) neste sábado (15).

Em seu discurso, Estima defendeu um plano de governo com três eixos: zeladoria, equilíbrio fiscal e desenvolvimento econômico. “Temos que trabalhar muito fortemente sobre geração de emprego e renda, porque para mim é a maior solução social que a gente pode dar para uma comunidade”, disse. “Estamos comprometidos profundamente, com muita responsabilidade, de cuidar de toda Pelotas”.

Leite recordou sua trajetória política e a atuação de Estima como líder empresarial e dentro dos governos de Pelotas e do Estado. “Para muitos, o Estima já é conhecido, mas tantos outros ainda vão conhecer o Estima, e vão conhecer alguém que tem uma íntima relação com a cidade”, salientou. “É um misto de sentimentos, tanto que conseguimos fazer, mas tanta coisa que ainda precisamos fazer pela nossa cidade, por isso que a gente, chegando diante de um processo eleitoral, precisa renovar esse compromisso por nossa cidade”, falou Leite.

O governador destacou a necessidade de renovação e, sem citar nominalmente, criticou o ex-prefeito Fernando Marroni (PT), que será candidato a prefeito de Pelotas pela sexta vez. “Com todo o respeito pela trajetória política de cada um, se não conseguem promover nem no seu próprio partido essa renovação, o que de novo podem trazer para a cidade?”, disse Leite. “Esse grupo está dando essa oportunidade de, novamente, renovar e seguir em frente”.

A prefeita Paula também falou sobre renovação e disse que Estima, que é natural de Rio Grande, pode quebrar um paradigma e avançar na união com a cidade vizinha. “Talvez com um riograndino na prefeitura de Pelotas a gente quebre essa barreira e faça essa região avançar”, disse. “Hoje Pelotas precisa de uma nova liderança, um ciclo está se encerrando, e nós achamos que temos que investir de novo em algo diferente”.

O deputado federal Daniel Trzeciak (PSDB), que era cotado para disputar a eleição, defendeu a união do grupo político da base do governo. “Decidimos que o melhor para nossa cidade é ter uma pessoa que conheça muito bem sobre empreendedorismo, geração de emprego, que saiba as dificuldades das vidas das pessoas. Eu não tenho dúvida alguma que esse grupo daqui dois meses, quando iniciarmos o período eleitoral, saberá conduzir com muita maturidade os desafios que a cidade precisa enfrentar”, disse Trzeciak.

Estima foi escolhido entre os nomes que se lançaram pré-candidatos pelo partido, entre eles o de Trzeciak, que anunciou na quarta-feira (12) que não iria concorrer. Ele é empresário e recentemente foi gerente de planejamento e desenvolvimento da Portos RS. Antes, já havia sido superintendente da Portos RS e secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo da Prefeitura de Pelotas nos governos de Leite e Paula.

Embora houvesse outros nomes na disputa pela candidatura tucana, como o do vice-prefeito Idemar Barz, os favoritos vinham sendo Estima e Trzeciak, que precisaria deixar a Câmara dos Deputados para a disputa, o que deixaria a região sul com um representante a menos no Congresso Nacional.

Cenário

Com a definição do candidato de situação, o cenário eleitoral em Pelotas está mais claro, com o nome do ex-prefeito e ex-deputado Marroni como pré-candidato pelo PT e com o empresário Marciano Perondi como candidato pelo PL.

Marroni, que estava na presidência da Trensurb, deixou o cargo na semana passada para poder disputar a eleição em Pelotas. Segundo a presidente do PT, Ângela Vitória, o partido mantém diálogo com potenciais aliados, como o Avante, o PSB e o PSOL. O PT também dialoga com o PDT, que tem candidato próprio, mas devem se aproximar, em especial no segundo turno.

No PL, o presidente da sigla, Valnei Tavares, classifica a candidatura de Perondi como ‘irreversível’ e diz que a indicação do candidato a vice deve ser feita somente no período das convenções, com a possibilidade de se formar uma coligação.

Embora os partidos já sinalizem tendências de composição para a decisão do candidato a vice, a formação completa das chapas deve ficar só para o período das convenções partidárias, que devem acontecer entre 20 de julho e 5 de agosto.

Outros partidos também apresentaram pré-candidaturas. No União Brasil, atualmente aliado do governo, há três nomes para disputar a Prefeitura, mas que também podem integrar a chapa tucana: a presidente do partido, Maíra Lessa, a ex-diretora do Sanep, Michele Alsina e o vereador e atual líder do governo Marcos Ferreira, o Marcola. A tendência atual é que a candidata a vice seja decidida entre Maíra e Michele.

À esquerda, o PSOL não descarta ter uma candidatura própria, enquanto o PDT lançou o nome de Reginaldo Bacci e no PSB o vereador César Brisolara já declarou não descartar a possibilidade de ser candidato. À direita, o Progressistas anunciou o vereador Rafael Amaral e o ex-prefeito Adolfo Fetter Júnior como pré-candidatos, embora admita que o foco seja em candidaturas para o Legislativo.

No MDB, que deve compor com a candidatura de situação, chegaram a ser anunciados os nomes de quatro pré-candidatos: o ex-prefeito Irajá Rodrigues, o ex-vereador Roger Ney, Danilo Rodrigues e Miguel Medina.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome