Pelotas: Vereadora Fernanda Miranda exige respeito dos colegas em sessão

Vereadora afirmou que a situação repercutiu e que a mesa diretora deve se reunir para discutir o assunto (Foto: Reprodução/PSol)

Em seu primeiro mandato pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSol) e conhecida pelo seu trabalho em favor do direito das mulheres, a vereadora Fernanda Miranda foi o centro de um desentendimento, na sessão de terça-feira (27), na Câmara de Vereadores de Pelotas. Durante sua fala na tribuna, ela se sentiu incomodada com as conversas e risos paralelos de dois de seus colegas, que segundo ela, são reincidentes na Casa. A reclamação se transformou em bate-boca,o que tumultuou a sessão, que tratava sobre projetos de parcerias público-privadas (PPPs).

Em sua página no Facebook, a vereadora escreveu: “Já perdi as contas de quantas vezes precisei exigir respeito dos colegas vereadores. Hoje foi ainda mais violento. A mensagem é a de que esse lugar não é para nós mulheres, que não devemos nos manter aqui se não for para enfeitar o plenário e servir aos interesses do governo. Em meio ao deboche, o vereador Anderson Garcia gritou que deveriam chamar a SAMU para mim, insinuando o que historicamente o machismo faz conosco: nos coloca como loucas”.

Ela contou, quarta-feira (28), que recebeu a solidariedade de suas outras três colegas vereadoras e de representantes de inúmeras instituições que lutam pelos direitos das mulheres, que se mostraram indignados com o ocorrido. “Quanto mais as mulheres ocupam espaços de decisão, mais temos de conviver com o machismo e a violência, isso cotidianamente”, ressaltou.

Segundo ela, a situação repercutiu em toda a sociedade e está em avaliação, porém ainda não há nenhuma definição sobre medidas a serem tomadas. Fernanda disse ainda que a mesa diretora deve se reunir para discutir o assunto.

O presidente da Casa, Fabrício Tavares (PSD) confirmou que a mesa diretora da Câmara de Pelotas fará uma reunião, provavelmente na terça-feira (3), para discutir esse assunto, entre outras pautas. “De qualquer maneira, pelo menos até o momento, não estudamos qualquer tipo de representação ou requerimento sobre o caso”, concluiu o vereador.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome