Em Pelotas, Leite não descarta ida ao PSD para viabilizar terceira via

Governador esteve em Pelotas para receber homenagem da Câmara de Vereadores. (Foto: Adilson Cruz/JTR)

O governador Eduardo Leite afirmou que pode sair do PSDB para viabilizar uma candidatura de terceira via à Presidência da República. Ele esteve em Pelotas nesta sexta-feira (4) para receber uma homenagem da Câmara de Vereadores.

Leite afirmou que respeita o resultado das prévias do partido, divulgado em novembro de 2021, mas cobrou uma melhora no índice de rejeição do governador de São Paulo, João Dória (PSDB).

“Já fazem dois meses e o que a gente viu foi uma queda dele nas pesquisas. Ele tinha 4% e caiu para 2%, e uma rejeição que não cede. Aliás, pesquisas indicam que no seu próprio estado ele tem uma intenção de votos muito baixa. Está em quarto lugar, ou quinto lugar para presidente no maior estado da federação”, disse.

O governador do Rio Grande do Sul aponta que deseja que a candidatura de Dória seja possível, mas que deve haver uma sinalização de viabilidade, ao menos até março, considerando a necessidade de renúncia ao mandato para concorrer à Presidência. O prazo máximo é o dia 2 de abril. “Eu acho que se impõe para os partidos de centro uma alternativa. E nem estou defendendo que seja o meu nome, acho que temos que entender qual o nome que possa se viabilizar”.

Para Leite, o ideal seria uma candidatura com baixa rejeição, e citou que lideranças de partidos entendem que o nome dele atenderia essa condição. “Diante disso, há um convite do PSD. Nós conversamos, estamos conversando”.

O governador declarou que não pretende dificultar a terceira via e que, por isso, deve haver um entendimento político, de um grupo de pessoas ou de partidos. “Eu estarei a disposição para ajudar a construir”.

Além disso, apontou que tem o desejo de permanecer no PSDB, o qual é filiado há mais de 20 anos, e como chefe do Executivo gaúcho, mas que pode se colocar como uma alternativa. “A síntese, para mim, melhor é o que ouvi de um empresário nacional, que dizia: ‘estamos entre o indesejável e o inaceitável entre essas duas candidaturas'”, lembrou.

Sobre a sucessão no governo do Estado, ele afirmou que a prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas (PSDB), é uma boa escolha, citando também o vice-governador Ranolfo Júnior (PSDB), mas disse que a escolha passa pelo partido e pela viabilidade da candidatura.

Homenagem na Câmara

O governador esteve na sede do Legislativo pelotense para receber uma homenagem da Casa onde foi vereador. Ele também pôde olhar o projeto da nova sede da Câmara.

Na tribuna, destacou a trajetória política que definiu como intensa. Hoje, com 36 anos, ele assumiu o primeiro mandato em 2009, com 23, e relatou o nervosismo em usar o local. “Hoje vejo o quanto fez diferença na vida pública ter sido vereador”, disse.

Governador falou na tribuna da Câmara. (Foto: Adilson Cruz/JTR)

A experiência, segundo ele, passou segurança para que se candidatasse para prefeito, com 27 anos. Leite também destacou a importância de se ter um governador de Pelotas e da zona sul. “O que levamos desta história é que nós temos que levar nossa vida política com humildade”, pontuou. Além disso, destacou a quantidade de investimentos destinados ao município e à região, e lembrou que os parlamentares devem ouvir as demandas da população.

O presidente da Câmara de Pelotas, Marcos Ferreira (PTB), o Marcola, agradeceu o trabalho do atual governador na Câmara. “Esse ato é muito significativo para os vereadores, para a Câmara e para Pelotas”, destacou.

Ocasião contou com o descerramento de placa em homenagem ao atual governador do Estado. (Foto: Adilson Cruz/JTR)

O vereador citou o orgulho em ter um representante do município levando o nome da cidade para diversos lugares do país. “Conte com esta Casa. Aqui é a sua casa”, afirmou.

Na sequência, foi descerrada uma placa em homenagem à Leite. A ocasião contou com a presença dos vereadores da casa e de representantes do Executivo pelotense.

 

 

 

 

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome