Eleições 2020: PDT propõe Renda Viva em Pelotas

Candidatos ao Executivo de Pelotas, Dan Barbier e Mabel Teixeira (Foto: Divulgação)

Uma gestão preocupada com a dignidade do povo é aquela que prioriza a autonomia e o bem-estar das pessoas. É aquela que trabalha para garantir condições reais de melhoria e de crescimento para cada cidadão. E, em Pelotas, muitas pessoas vivem em situação de vulnerabilidade alimentar.

A pandemia intensificou uma crise que já vinha repercutindo no cotidiano de trabalhadores. Muitas pessoas perderam seus empregos e vários comerciantes se viram ou sufocados para manter a cabeça fora d’água, ou obrigados a fechar as portas. Portanto, 2020 diminuiu ainda mais as perspectivas de quem já convivia com poucos recursos – e abalou as estruturas dos pequenos e médios comerciantes.

Foi pensando nesse contexto que o PDT desenvolveu uma proposta de política pública que vai ajudar a reerguer a economia nas duas pontas. O Renda Viva é um programa que prevê um auxílio de R$ 300 por mês para R$ 20 mil trabalhadores desempregados e famílias em vulnerabilidade alimentar. Para isso, cada família vai receber um cartão Renda Viva – já com esse crédito – para comprar produtos de alimentação e higiene.

Na outra ponta, o programa vai ajudar os micro e pequenos comerciantes da cidade, porque o crédito só poderá ser utilizado em suas lojas. Além disso, ele precisa ser usado nos mercados localizados na região onde moram as famílias beneficiadas. Assim, o Renda Viva movimenta a economia local e o desenvolvimento de cada território.

A ideia é também estimular a formação de cooperativas de micro e pequenos comerciantes, que assim podem comprar mais barato e fazer frente aos preços praticados em comércios maiores.

De onde virá o dinheiro
Os recursos para o Renda Viva virão do corte de 90% dos Cargos de Confiança da prefeitura (R$ 1.500.000,00) e dos contratos administrativos que serão reavaliados (R$ 500.000,00), na revisão dos contratos financeiros referentes ao endividamento da prefeitura que ultrapassa a casa dos 388 milhões de reais (3.000.000,00).

O Renda Viva também será financiado pelo incremento de arrecadação de tributos já existentes (1.000.000,00) e pelos recursos da cobrança de impostos daqueles que podem e devem pagar (500.000,00), mas por razões desconhecidas não pagam.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome