Ações para diminuir efeitos dos alagamentos em Pelotas ganham destaque no Senado

Além da manutenção das antigas casas de bombas, feitas pelo extinto DNOS, a cidade ampliou o sistema de bombeamento através dos técnicos do Serviço de Saneamento (Sanep) e cuidou dos diques que margeiam o canal São Gonçalo, onde está a Estrada do Engenho. (Foto: Saulo Cruz/Agência Senado)

Ao ocupar a tribuna do Senado Federal, em Sessão especial que debateu os desastres climáticos no Rio Grande do Sul, o secretário-executivo do Escritório de Representação em Brasília (EBSB), Henrique Pires, destacou o bom trabalho que vem sendo feito, há décadas, em Pelotas. Além da manutenção das antigas casas de bombas, feitas pelo extinto DNOS, a cidade ampliou o sistema de bombeamento através dos técnicos do Serviço de Saneamento (Sanep) e cuidou dos diques que margeiam o canal São Gonçalo, onde está a Estrada do Engenho.

Pires destacou que todos os prefeitos que se sucederam desde a inauguração dos equipamentos, se dedicaram aos serviços de manutenção do sistema. Em seu pronunciamento no Plenário, o representante do RS também destacou que Pelotas, após a pandemia, fez um eficiente Plano de Resiliência, que vem sendo seguido à risca, minimizando os efeitos decorrentes das cheias. “Os efeitos poderiam ser bem piores se a cidade não tivesse se organizado para o enfrentamento de situações catastróficas”, afirmou o secretário-executivo.

Em nome do governador Eduardo Leite (PSDB), Pires também agradeceu a todos que estão trabalhando intensamente para a recuperação do Estado, destacando a recente criação da Secretaria de Reconstrução Gaúcha, pelo governo gaúcho, que vai coordenar as ações de recuperação social e econômica do Rio Grande do Sul.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome