Terminal em Pelotas será concedido à iniciativa privada na sexta-feira (9)

O Ministério da Infraestrutura, por meio da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (ANTAQ), vai conceder à iniciativa privada, na sexta-feira (9), na B3, em São Paulo, o terminal PEL01, do Porto de Pelotas. Ele integra o arrendamento de cinco terminais, sendo eles na cidade gaúcha e em Itaqui, no Maranhão.

A previsão do Governo Federal é de que o arrendamento mensal seja de R$ 100,4 mil. Será considerado vencedor o consórcio que oferecer o maior valor de outorga para o terminal. E a previsão total de investimento nesse terminal é de R$ 16 milhões. O prazo de concessão é de 15 anos, período em que devem ser criados 270 empregos.

O terminal em questão é o único operador portuário com vocação para movimentação de toras de madeira na região, constituindo importante elo da cadeia logística da produção de celulose.

Outros terminais também vão a leilão no mesmo dia: IQI03, IQI11, IQI12 e IQI13, em Itaqui, no Maranhão. O arrendamento dos cinco terminais vai gerar mais de R$ 600 milhões em melhorias.

INFRA WEEK – Além do arrendamento dos cinco terminais, o Governo Federal também realizou a concessão da Ferrovia de Integração Oeste Leste (Fiol), na quinta-feira (8), e o leilão de 22 aeroportos, na quarta-feira (7). A concessão do trecho de 537 quilômetros da Fiol garantiu R$ 3,3 bilhões de investimentos, sendo R$ 1,6 bilhão para a conclusão das obras. O prazo de concessão será de 35 anos. Já o leilão dos aeroportos trará um investimento de R$ 6 bilhões, sendo R$ 2,8 bilhões no Bloco Sul, R$ 1,8 bi no Bloco Central, e R$ 1,4 bi no Bloco Norte.

No total, os 28 leilões vão injetar mais de R$ 10 bilhões em investimentos no Brasil. Ou seja, em apenas três dias, o MInfra vai assegurar um montante superior ao orçamento da Pasta para um ano inteiro – em torno de R$ 7 bilhões. Além disso, essas concessões vão gerar mais de 200 mil empregos, de forma direta, indireta e efeito-renda, ao longo dos contratos de arrendamento e concessões.

PROGRAMA DE CONCESSÕES – Em dois anos, o programa de concessões do MInfra já leiloou 41 ativos e contratou R$ 44 bilhões em investimento – e outros R$ 13 bilhões de outorga -, garantindo a ampliação da logística de transportes do Brasil. Em 2021, a expectativa é sejam concedidos mais de 50 empreendimentos, o que garantiria mais R$ 140 bilhões para o setor. A expectativa da Pasta é chegar até o final de 2022 com a contratação de R$ 250 bilhões em infraestrutura – mais de 40 vezes o orçamento público para investimentos na área por ano.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome