Pelotas: Prefeitura realiza manutenção na Estrada Capão do Almoço

Tubulação da travessia da Sanguinha, a menos de dois quilômetros da BR-116, cedeu devido a volumes grandes de água e erosão. (Foto: Rafael Takaki)

A Prefeitura, por intermédio da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), trabalha na recuperação da travessia sobre a corrente da Sanguinha, no Cerrito Alegre, 3º distrito de Pelotas. Parte da tubulação deslocou-se devido ao excesso de água e à erosão, provocando desmoronamento de parte da estrada Capão do Almoço Santa Silvana. O trecho está localizado a menos de dois quilômetros da BR-116, em área do 3º distrito, entre as colônias Py Crespo e Osório, sentido rodovia/interior. Desde a quarta-feira (19), quando a lateral do leito começou a ceder, mesmo com chuvas no dia e que se repetiram no fim de semana, as equipes atuam no local. Nesta segunda-feira (24), as obras estão praticamente concluídas.

“Ainda não é possível estimar a quantidade de material empregada. Depois de realinhar a tubulação, passamos a utilizar pedras de todos os tamanhos e saibro, para fortalecer a base e aterrar o buraco que se formou com o desmoronamento, com medidas aproximadas de cinco metros de profundidade, oito no fundo e 12 na cobertura. O trânsito já está restabelecido no local”, informa o secretário de Desenvolvimento Rural, Romualdo Cunha Júnior.

Os engenheiros civis da SDR, Antônio Carlos Guedes Vianna e Paulo Roberto Viana Pinho, salientam que os trabalhos já realizados e os que ainda estão em andamento foram projetados com utilização de material resistente, para garantir segurança no trajeto. Pelo local, passam transportes pesados de cargas de produção, coletivos, escolares e veículos de moradores. O Município está zelando para que nenhum seja colocado em risco, eliminando, com reforços, qualquer possibilidade de incidentes.

Além da crise climática do mês de maio, as chuvas frequentes de junho foram tornando gradativo o processo de erosão junto à tubulação de drenagem da água da Sanguinha, com a situação agravada pelo tráfego pesado. Parte do material utilizado no reforço da estrutura da estrada no trecho – pedras de todos os tamanhos – é transportada de outras localidades, como do Capão do Leão. O projeto, a curto prazo, é avançar no aterramento, para recompor a estrada, naquela travessia, na largura original de dez metros. O administrador distrital do Cerrito Alegre, Zelmuth Tessmann, acompanha, desde quarta-feira, todas as atividades no local.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome