Pelotas: Prefeita recebe estudo sobre perturbação do sossego

Com mais de 30 dias de pesquisa, relatório desenvolvido pela Prefeitura aponta principais estratégias a serem tomadas. (Foto: Gustavo Vara/Prefeitura Municipal de Pelotas)

Com o objetivo de compreender os casos de perturbação do sossego, a Prefeitura de Pelotas realizou pesquisa, por mais de um mês, referente às festas e aglomerações nas ruas Gonçalves Chaves e Dom Pedro II. Os resultados do estudo, desenvolvido pelo Observatório de Segurança Pública do Município, foram apresentados à prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) na manhã de sexta-feira (17).

Dentro do período de análise, foram realizadas diversas entrevistas com os envolvidos na problemática, considerando Poder Executivo, Ministério Público, forças de segurança, empresários, moradores, frequentadores e instituição de ensino.

“Vamos desenvolver um programa de convivência urbana para pensar estratégias de resolução do problema. Mas, para que se efetive, precisaremos da colaboração de toda a sociedade. Um aspecto que o relatório mostrou, claramente, foi que só vamos encontrar uma solução equilibrada se tivermos a participação e cooperação de todos os envolvidos. A Prefeitura assumirá sua responsabilidade de chamar essa mobilização”, afirmou Paula.

Além do desenvolvimento do programa, o Município deve, ainda, fortalecer as equipes de fiscalização, ampliar as relações internas e institucionais do Poder Público e manter a perspectiva de aprovação de um regramento, que deve servir como ferramenta para novas ações.

A coordenadora do Pacto Pelotas pela Paz, Aline Crochemore, que atuou na pesquisa junto ao coordenador do Observatório de Segurança Pública, Samuel Rivero, explica que essa aproximação e contato direto é fundamental para efetivação das estratégias.

“Essa abertura do Poder Público à escuta é identificada como algo positivo pelos próprios envolvidos, gerando uma aproximação com todas as partes. Às vezes, a gente tem uma boa estratégia para colocar em prática, mas se não trabalhar essa relação antes, não funciona”, destacou a gestora.

A fim de pôr em prática os atuais encaminhamentos, outras reuniões serão realizadas com as frentes que irão compor o Programa de Convivência Urbana, o qual, aliado à matéria que tramita no Legislativo sobre o tema, deve possibilitar novas estratégias de enfrentamento à problemática.

Também participaram da reunião o assessor especial de Comunicação, Gustavo Azevedo, e a chefe de Gabinete da prefeita, Kelli Baum.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome