Obras da nova sede da Aprocapel estão em andamento

Presidente da Associação desde a fundação, em 2008, Nelson Vergara ressalta os benefícios dos associados, como a compra de equipamentos com menor preço e a assistência disponível. (Foto: Adilson Cruz/JTR)

É na beira da BR-116, lado direito da pista em direção a Pelotas, e a somente dez quilômetros da zona urbana, que a Associação dos Proprietários de Caminhões de Pelotas (Aprocapel) levanta uma mega-estrutura em um amplo terreno de oito hectares, com cem metros de frente por 800 de fundo. É neste espaço que em um futuro próximo vai funcionar a nova sede da entidade que congrega centenas de transportadores do município e região. Mas não apenas.

Além de transferir para o local toda a estrutura de escritórios, que hoje funciona em sede própria com direito a depósito, sala de reuniões e churrasqueira na rua Santiago Dantas, Três Vendas, Zona Norte de Pelotas, o espaço vai oferecer posto de combustível e estacionamento gratuito para o associado, com capacidade para 500 caminhões.

A ideia é atender a necessidade do quadro associativo, que hoje conta com uma frota de 600 caminhões e 290 afiliados de diversos municípios da Zona Sul, de Cristal ao Chuí, incluindo Rio Grande. O projeto prevê também, no espaço anexo que forma um L no terreno, um amplo salão, onde passarão a ser realizadas as tradicionais festas de fim de ano. A de 2023 mesmo, com direito a churrasco, já tem data e local marcados: 15 de dezembro, na sede campestre do Centro Português. “Além das festas da Associação, estará disponível o ano todo para uso individual do associado”, acrescenta Nelson Vergara, presidente da entidade desde a fundação, em novembro de 2008, após uma reunião realizada nas dependências da Savar Sul com um grupo de 47 transportadores.

Também integrante do grupo que fundou a Aprocapel, Vergara justifica a estrutura a ser oferecida ao associado: não raro o caminhoneiro, quando chega de viagem, não tem onde estacionar, senão na frente da casa ou da de um vizinho. “Pessoal costuma se importar com um caminhão estacionado em frente de casa, é uma encrenca”, explica ele. Além do espaço, a nova sede vai disponibilizar também um lugar seguro, sem riscos de arrombamento ou danos.

O posto de combustíveis terá em princípio estrutura para abastecimento e troca de óleo. O projeto, cujo orçamento chega a R$ 5 milhões, inclui ainda cozinha, refeitório e banheiros dotados de chuveiro “para o associado chegar em casa de banho tomado”.

Construção de nova sede está em andamento com obras em um muro lateral de 1,4 mil metros de comprimento por três metros de altura, já finalizada, e na parte dos fundos do local. (Foto: Adilson Cruz/JTR)

Sem pressa
O primeiro passo para a construção da nova sede foi dado neste ano, quando na assembleia de prestação de contas realizada no final de 2022 foi aprovado o início da obra. Um muro lateral de 1,4 mil metros de comprimento por três metros de altura já foi finalizado. A parte dos fundos está em andamento.

A obra foi feita em pouco tempo, mas cronograma, na Aprocapel, não é prioridade no momento. Não há previsão para ser concluída. “Estamos fazendo devagarinho para não nos descapitalizarmos, não temos pressa”, explica o presidente. “O que sobra definimos em assembleia que a receita do ano fiscal vai ser aplicada na construção da nova estrutura. Vai levar no mínimo uns cinco anos para ficar pronta”, projeta Vergara. A próxima etapa é levantar o pórtico e a estrutura de entrada. Além do posto.

“É um conforto que oferecemos ao associado, toda uma estrutura para ele, que garante este novo espaço com o pagamento da mensalidade”, conta.

Serviços
A Aprocapel disponibiliza aos associados insumos como óleo, pneus e lonas diretamente de fábrica. “Não botamos um centavo de lucro, acho que não existe similar no Brasil”, especula Vergara. Segundo ele, a entidade compra pneu à vista por R$ 2 mil – em torno de 35 a 40% mais barato que no varejo. Repassa aos associados pelo mesmo valor com vantagem adicional: oferece prestações fixas em até quatro vezes.

“Somos uma associação que não visa lucro, vem direto para o consumidor. É um benefício. Temos mostrado nas assembleias que o associado está ganhando, recebe muito mais que paga”, comenta o líder da classe.

O propósito inicial da Aprocapel era assessorar o caminhoneiro em caso de acidente para arrumar o caminhão e colocá-lo o quanto antes na estrada para o profissional voltar ao mercado. Serviço que cumpre até hoje. “A partir do acidente nós assumimos, botamos o caminhão em cima do guincho”, garante ele, mostrando na tela do notebook imagens de veículos recuperados com apoio da Associação. “Esse é o carro-chefe do nosso trabalho, continua sendo, desde sempre, além de outros benefícios que fomos incluindo ao longo desta história”, assegura.

Quase todos os caminhões acidentados são levados para oficinas em São Marcos, região da Serra, a 418 quilômetros de Pelotas. A cidade é um verdadeiro polo de oficinas com profissionais especializados. E aqui, a transparência é fundamental, quase a alma do negócio. São solicitados no mínimo três orçamentos diferentes, apresentados ao proprietário e discutidos em conjunto para decidir o melhor serviço.

Apesar do apoio e da congregação entre os profissionais de transporte que a entidade promove, há também o lado triste: já se perderam vidas. O último acidente fatal aconteceu dia 17 de abril, na BR 392, no sentido Canguçu, pouco depois da entrada do município, com um motorista que estava em processo de aposentadoria. “É uma tristeza. O caminhão estraga mas se resolve. Vida se perde e não volta mais”, lamenta.

Por isso pedir proteção é uma cultura forte entre os caminhoneiros. Não por acaso, a Aprocapel é presença sempre confirmada, e em grande número, na procissão motorizada que marca o Dia do Motorista e a Festa de São Cristóvão, que neste ano chega a 38ª edição em Pelotas, promovida pela paróquia que homenageia o Santo. “Somos presença confirmadíssima, pelo menos 60% dos caminhões que participam da procissão são de associados da Aprocapel”, afirma Vergara, que também se envolve na organização do evento. Ele mostra à reportagem maço de ingressos que se comprometeu a passar adiante para o almoço no salão paroquial, previsto para após a procissão. “É uma festa dos caminhoneiros, a gente tem que estar lá”, diz.

Virada de chave
A Aprocapel surgiu numa iniciativa do caminhoneiro Everaldo Born, hoje vice-presidente da entidade. “Começou a falar com um, com outro e de boca a boca o pessoal foi se mobilizando. Da primeira [reunião] já foi feita a segunda, dali já escrevi a ata, se compôs uma diretoria, na qual fui aclamado presidente e daí deslanchou, tudo organizado, registrado em cartório, com reunião mensal da diretoria e prestação de contas”.

Conforme Vergara, muitos dos proprietários estão no volante. O ingresso é seletivo. “Não é quem quer entrar. A gente é quem seleciona, já passamos cinco anos sem botar ninguém”.
O perfil é de pequeno e médio empresário. “Não tem ninguém muito grande, gente com no máximo 15 caminhões, e também de apenas um, é o público que nos interessa – o cara que precisa, porque quem tem um caminhão, sozinho, não vai muito longe”, explica.

A relação tem sido vantajosa e isso é demonstrado em números nas assembleias e reuniões. Em 2022, em média, houve uma economia de pouco mais de R$ 7 mil por caminhão. “Temos comprovado ao associado que o benefício que proporcionamos é maior que o custo, sem contar os casos de acidente, que a gente manda consertar e entrega pronto”, diz.

Além dos serviços fixos, a Aprocapel tem parcerias firmadas com montadoras como Scania, Volvo e Mercedes Benz, recapadoras de pneus e postos de combustíveis em várias regiões do Brasil, que dão direito a desconto de 10% no litro do diesel.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome