Grande volume de chuvas na Zona Sul é motivo de alívio no campo e nos reservatórios

Barragem voltou a ter nível considerado normal. (Foto: Matheus Vargas/Sanep Pelotas)

Depois de um período longo de estiagem, a região Sul foi marcada pelos dias cinza, de chuva intensa e constante. Até semana passada, era esperado pela MetSul Meteorologia que as precipitações na região de Pelotas marcassem entre 50 a 70 milímetros. Nesta semana, as chuvas surpreenderam, com o registro de 143 milímetros de água na cidade do doce, desde o dia 20 até a manhã de quarta-feira (25), segundo informações do SANEP.

Diferente do que aconteceu com a Barragem Santa Bárbara no ano passado, quando atingiu um nível histórico de recuo de 4,40 metros negativos, a situação em agosto tem apontado o melhor índice desde a segunda quinzena de abril. Na quarta-feira (26), inclusive o nível do vertedouro do manancial voltou a extravasar, chegando ao nível considerado ideal para a captação, o que não acontecia desde 9 de abril.

A barragem é responsável por abastecer 60% do município e o Sanep pondera que não estava enfrentando problemas de falta de água causados pelo período de pouca chuva, com a distribuição ocorrendo de forma estável. Michele Alsina, diretora-presidente da autarquia, diz que mesmo com as estabilidades e melhoras, não se pode perder a cautela, sendo necessário que o consumo de água seja feito de forma consciente pela população, pensando já no futuro, no período de poucas chuvas.

Alívio na agricultura

Em relação à agricultura o diretor técnico da Emater, Alencar Paulo, afirma que é esperado que a dimensão das chuvas tenha sido suficiente para sanar a estiagem verde, relacionada às plantas.

O diretor ainda acrescenta que é preciso pensar além, considerando que a questão hídrica envolve todo o setor agrícola. Portanto, é interessante que o volume de água e chuva sejam constantes para uma reposição. “Daqui pra frente nós temos a expectativa de que as chuvas tenham uma regularidade adequada pra que nós possamos ter um rendimento das culturas, visto que os produtores tem uma boa condição de fazer o plantio e isso dá tranquilidade pra você ter sucesso”, comenta Paulo.

O chefe do escritório da Emater, em Pelotas, Francisco Arruda, conta que vinha acompanhando o nível das barragens e estava em modo atenção. Agora, sente o alivio para as produções agrícolas. No entanto, ele lembra que mesmo com os benefícios da água para os cultivos, a falta de sol e luminosidade afetam algumas safras. “[Com] uma semana sem sol as plantas sentem”, aponta. Além disso, Arruda cita que o excesso de chuvas pode ocasionar o encharcamento do solo.

Setembro de oscilações térmicas

Setembro é marcado por grandes oscilações térmicas, sendo também um mês de transição que, simboliza o início da primavera. “O tempo muda muito rápido. A previsão muda de um dia pro outro e ela é menos confiável”, afirma Estael Sias, meteorologista da MetSul. Para o próximo mês, ela aponta que os modelos estão indicando chuva próxima à média.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome