Evento virtual para tornar o mundo real um lugar melhor

Ao todo, 82 guirlandas foram vendidas em formato online, beneficiando mais de 1,8 mil famílias atendidas pelo Banco Madre Tereza de Calcutá (Foto: Juliano Kirinus)

A 11ª edição da Mostra Guirlandas de Natal, em benefício do Banco de Alimentos Madre Tereza de Calcutá (BMTC), teve um ingrediente a mais neste ano. Em virtude da pandemia e das restrições impostas pela Covid-19, as organizadoras da tradicional “Noite das Bem-Aventuranças” “transportaram” as 82 guirlandas para o modo virtual. O plano de fundo para as criações dos arquitetos, decoradores, artistas plásticos e artesãos participantes foi uma das portas laterais da Catedral Metropolitana São Francisco de Paula, que emoldurou os trabalhos adquiridos por empresários e famílias locais.

Para tornar o momento ainda mais especial, foram entoadas canções de Natal na voz da cantora pelotense Marcia Zambrano. De acordo com as coordenadoras do grupo, Adriana Fernandes, Sandra Espinosa e Fabiana Moglia, a edição de 2020, arrecadou R$ 57,4 mil que serão revertidos em benefícios para as mais de 1,8 mil famílias assistidas pelo Banco Madre Tereza de Calcutá. Cada guirlanda foi adquirida pelo valor de R$ 700 e na mostra consta o nome do doador e do comprador.

A mostra virtual, que foi lançada no dia 4 de dezembro, encontra-se disponível para visualização através das redes sociais. “Neste ano atípico em que estamos vivendo, não poderíamos deixar de fazer o bem a quem tanto precisa”, disse uma das coordenadoras, Adriana Fernandes.

A coordenadora do Banco de Alimentos, Maria Eulalie Mello Fernandes, agradeceu a cada um dos benfeitores, que classificou como estrelas que tornaram este, em um Natal único, singular. “Natal é fazer com que o Menino Deus nasça em nossos corações”, ressaltou.
O evento teve sua primeira edição em 2009 e foi idealizado pela decoradora e farmacêutica Adriana Fernandes, na intenção de auxiliar a sogra Maria Eulalie Mello Fernandes a prover o BMTC. O gosto pelo Natal e pela decoração da sua casa com motivos natalinos foram a inspiração para a criação do evento, que tem a guirlanda como símbolo.

De lá para cá, o evento só cresce, com a adesão cada vez maior de adeptos. São arquitetos, decoradores, artistas plásticos, designers e afins que criam a guirlanda e doam o material e o trabalho. Os enfeites que têm, em média, 60 centímetros de diâmetro e no máximo 1,2 metro de altura, são pré-vendidos e confeccionados de acordo com a atividade ou gosto do comprador.

O valor arrecadado ajuda a sustentar o banco, que oferece cinco tipos diferentes de auxílio, por um período de vários meses. Além de alimentos, são fornecidos a 1,2 mil famílias leite, remédios, empregos e roupas. O projeto Guirlandas oferece importante suporte financeiro a este trabalho.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome