Diário Popular de Pelotas encerra as atividades após 133 anos de história

O periódico esteve sob a gestão da família Fetter por três gerações. (Foto: Dilermando Dias)

O jornal Diário Popular, que há 133 anos era referência como um dos principais periódicos diários da Região Sul, anunciou na terça-feira (11) o fim das atividades.

Fundado em 27 de agosto de 1890, o veículo não conseguiu superar a crise mundial enfrentada pelo mercado jornalístico nos últimos anos, agravada pela pandemia da covid-19. O encerramento foi comunicado pela direção do veículo de comunicação e através da assessoria jurídica do escritório MSC Advogados.

Segundo informações da diretora-superintendente do jornal, Virgínia Fetter, questões relacionadas a serviços terceirizados e os prejuízos causados pela catástrofe climática de maio foram determinantes para o fechamento da empresa. Após investimentos próprios e empréstimos para manter as operações, a situação se tornou insustentável.

Conforme publicado na última edição do Diário Popular desta quarta-feira (12), o periódico está buscando encerrar suas atividades de forma responsável, disponibilizando para pagamento das dívidas a venda da sua sede, localizada na rua Quinze de Novembro, 718, em Pelotas, que abriga as instalações da empresa, no valor estimado em R$ 2,9 milhões.

O governador Eduardo Leite (PSDB) e a prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) lamentaram o fechamento do jornal nas redes sociais.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome