Senac Pelotas recebe alunos para simulado preparatório à competição nacional

Competidor da área de Serviço de Restaurante serve mesa durante simulado na tarde de quarta-feira na Escola Senac Pelotas. (Foto: Roberto Ribeiro/JTR)

A Escola Senac Pelotas é desde segunda-feira (7) anfitriã dos competidores que representarão o Senac RS na competição nacional de educação profissional que a instituição promove todos os anos em Vitória (ES). Os vencedores no evento, que este ano será de 22 a 28 de outubro, serão habilitados a representar o Brasil no Worldskills 2024 em Lyon, na França, espécie de mundial do gênero.

Os sete competidores participam dos simulados na Escola Senac Pelotas até esta quinta. De acordo com Aline Martins, coordenadora do time de competições do Senac RS, eles foram selecionados ano passado em certames promovidos pelas regionais da instituição no estado. São jovens de Porto Alegre e Região Metropolitana, Passo Fundo e São Borja. A partir de setembro se tornaram bolsistas do Senac, onde, no centro de treinamento da Fecomércio, na capital, são submetidos a oito horas de treinamentos de segunda a sexta-feira. Todos são alunos ou ex-alunos dos cursos oferecidos pelas Escolas Senac. No caso, Cozinha, Cabeleireiro, Cuidado de Saúde e Apoio Social, Estética e Bem-estar, Florista, Recepção de Hotel e Serviço de Restaurante.

Competidora do Senac RS realiza simulado na ocupação Cabeleireiro na tarde de quarta-feira na Escola Senac Pelotas. (Foto: Roberto Ribeiro/JTR)

Conforme Aline, a competição representa “um salto” no futuro dos selecionados. “Equivale a cinco anos de práticas”, diz. Ela garante que emplacar no currículo participação na competição nacional de educação profissional do Senac é um ativo no mercado de trabalho. Cita como case o pelotense Tiago Bertuol, chef de cozinha, que de competidor passou a ser treinador e avaliador nacional do Senac RS. “Saiu da etapa nacional com convite para trabalhar em um restaurante em São Paulo”, afirma.

Bertuol, de volta à terra natal desde segunda-feira para treinar o competidor Tiago Aguiar, de Porto Alegre, para a competição nacional em Vitória, optou pela docência na Unisenac em Porto Alegre ao restaurante em São Paulo. Não se arrepende. Diz que na atividade que desempenha desde 2019 conseguiu o feito inédito de classificar dois competidores da mesma escola para uma final regional. Na sua vez, em 2019, como competidor, ficou em segundo lugar em Vitória entre representantes de 12 estados do Brasil. Sobre as chances do pupilo: “O estado tem tradição muito grande, a gente conseguiu ficar no pódio nas últimas seis edições, primeiro lugar em quatro; a expectativa é muita alta”.

O ex-competidor pelo Senac RS e hoje chef de cozinha, professor da Unisenac, treinador e avaliador nacional do Senac RS, pelotense Tiago Bertuol, com o competidor Tiago Aguiar (ao fundo), durante treinamento na cozinha da Escola Senac Pelotas na tarde de quarta-feira. (Naiade Silveira/Senac Pelotas)

Segundo ele, a carga de treinamento está de acordo com os desafios que a competição apresenta, capaz de contemplar todas as áreas da cozinha. Conforme Bertuol, é preciso dominar confeitaria, cozinha quente e salgada e cozinha fria. O simulado é fiel à competição oficial: o hoje treinador e ex-competidor diz que são entregues módulos que podem determinar a produção de um prato principal vegano ou uma entrada quente e um prato principal em um determinado de tempo, em média, de quatro horas.

A competidora do Senac RS Andressa Crestane Kroth durante simulado na tarde de quarta-feira (8) nas dependências da Escola Senac Pelotas; Andressa representa o Senac RS na competição nacional prevista para 22 a 28 de outubro em Vitória na ocupação Recepção de Hotel. (Foto: Roberto Ribeiro)

“No simulado nosso principal objetivo é fazer o competidor experimentar um outro ambiente, uma cozinha diferente, avaliadores diferentes, pessoas que ele não conhece, ontem [quinta-feira] chegou a ter 50 pessoas das turmas de Jovem Aprendiz na cozinha para assisti-lo, é uma pressão cozinhar na frente de tanta gente”, conta Tiago Bertuol.

 Zona de desconforto

Janine Ledur, gerente de educação profissional do Senac RS, que acompanha o simulado em Pelotas juntamente com a reitora da Unisenac, Lianamar Rosa, justifica o papel das competições promovidas pelo Senac.

O diretor da Escola e da Faculdade Senac Pelotas, Tiago Radmann, a reitora da Unisenac, Lianamar Rosa, a gerente de educação profissional do Senac RS, Janine Ledur e a coordenadora do time de competições do Senac RS, Aline Martins. (Foto: Naiade Silveira/Senac Pelotas)

Para Janine, elas têm por princípio criar uma situação de desconforto e novidade para os competidores. Explica que cada simulação é montada por treinadores e experts nos ambientes de aprendizagem de forma a tirar os competidores da rotina. “O tour pelas escolas, que a gente faz desde o início do ano, é para que o aluno se desafie em uma nova cozinha, em um novo espaço de saúde, de hotelaria, criando esse desconforto e tendo que resolver problemas dentro da rotina que ele precisa de fato cumprir”, afirma.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome