Pelotas: Escola Santa Mônica recebe condecorações por Mérito Educacional e de Serviços da Acapel e ACP

Unidade Altos do Laranjal foi inaugurada em 2018 (Fotos: JTR)

Com 33 anos de atividades, a Escola Santa Mônica coleciona premiações. Mas duas distinções, recebidas ao longo do mês de outubro, vieram coroar de forma especial o trabalho da equipe educacional da instituição, que tem raízes locais. Trata-se da Medalha da Ordem do Mérito Educacional, concedida pela Academia Pelotense de Letras (Acapel) e o Mérito de Serviços, outorga da Associação Comercial de Pelotas (ACP).

Para o diretor geral e fundador da instituição, o professor Ênio Ferreira estes prêmios são o reconhecimento local pelo trabalho e inovação na proposta pedagógica da escola, que nasceu de um sonho e cresceu naturalmente, acompanhando o crescimento da cidade de Pelotas e da sua comunidade escolar. “A implantação da nossa escola começou na pré-escola, com concepção clara e objetivos muito bem claros”, salienta o diretor.

Diretor geral e fundador da Escola Santa Mônica, Ênio Ferreira

Ele lembra como tudo começou, em 1981, quando se mudou com a família para o condomínio Adriano Gomes, no bairro Fragata, juntamente com pelo menos outros 50 casais jovens. “Por causa do grande número de crianças, constituímos uma escola de educação infantil dentro do condomínio, no salão de festas, que mais tarde, pela alta demanda, inclusive de crianças de fora do condomínio, acabou indo para o Centro e nasceu a Escola Corujinha”, hoje uma das três unidades do educandário.

Além da Unidade Altos do Laranjal, inaugurada em 2018, a escola mantém as unidades Corujinha e Centro, que atendem desde a educação infantil até o ensino médio e tem como característica o sistema de ensino Positivo, buscando preparar os alunos para os desafios do futuro, diz. “A educação evoluiu, se modificou e buscamos agregar tudo o que a tecnologia tem a facilitar à área educacional”, diz.

Para ele, a Escola Santa Mônica é hoje um grande legado para a cidade de Pelotas na área educacional, sonhada e pensada por professores. “Qual o profissional dentro da sua área de atuação não sonha em se tornar um empreendedor”, questiona.

Nas três unidades, a escola atende em torno de 1,6 mil alunos, dos três aos 18 anos, 500 na unidade do Laranjal. Desde a sua origem, pelo menos seis mil alunos já passaram pelo educandário, que atualmente está na segunda geração familiar. “Mais de dez profissionais que trabalham na escola foram nossos alunos”, assegura o diretor.

Segundo Ferreira, 200 colaboradores atuam em todas as esferas, comprometidos com o aprendizado e o bem-estar dos alunos. “As famílias entregam para a escola o seu maior bem, que são os filhos, e a confiança destas famílias na escola é fundamental”, afirma.

Situada em área de três hectares e mais de 11 mil metros quadrados de área construída, com capacidade de atendimento para 1,8 mil alunos, a Unidade Altos do Laranjal é hoje a “menina dos olhos” da instituição e está equipada com o que há de mais moderno em parâmetros educacionais, assegura o diretor. “A escola foi construída por quem entende de escola”. Dividida em três grandes universos, para atender educação infantil, ensino fundamental e médio, é hoje a maior e mais moderna estrutura educacional de Pelotas.

Pelo quarto ano consecutivo, o Santa Mônica é finalista de premiação concedida pelo Sindicato do Ensino Privado (Sinepe/RS), uma das mais importantes premiações do setor privado educacional do Brasil. A divulgação do resultado final, nas colocações Ouro, Prata e Bronze, será no dia 5 de dezembro, em evento no Teatro do prédio 40 da PUCRS, em Porto Alegre.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome