Decreto permite retorno gradual das aulas presenciais em Pelotas

Foto: Getty Images

O Decreto nº 6.407/2021, publicado na quarta-feira (12), permite o retorno gradual das aulas presenciais para todos os níveis de ensino. Esse processo será feito de forma progressiva, a cada 15 dias, condicionado à aprovação dos planos de contingência das instituições pelo Centro de Operações de Emergências da Saúde para a Educação (COE-E) Municipal. Pelo calendário, está autorizada a retomada das atividades dos terceiros, quartos e quintos anos do Ensino Fundamental desde a quinta-feira (13). No dia 27 de maio, será a vez dos sextos, sétimos, oitavos e nonos anos. Por fim, no dia 10 de junho, retornam os alunos do Ensino Médio.

O ensino presencial para a Educação Infantil e para os dois anos iniciais do Ensino Fundamental já havia sido liberado em Pelotas, desde o dia 23 de abril, de acordo com o Decreto 6.398/2021.

Decisão foi tomada durante reunião do Comitê de Enfrentamento
O retorno gradual do ensino presencial foi decidido na noite de terça-feira (11), durante uma reunião virtual do Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus. A escolha por dividir em etapas, com um intervalo de 15 dias, foi recomendada pelo Comitê Científico da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). O objetivo é que, com esse espaço de tempo entre cada retorno, seja possível medir os impactos que surgirão.

“Nossa preocupação não é tanto com o ambiente escolar, porque os planos de contingência passam pela criteriosa análise e aprovação do COE-E Municipal, e as escolas recebem a vistoria da Vigilância Sanitária antes de reabrirem”, adiantou a prefeita Paula Mascarenhas.
Dessa forma, o principal impacto a ser observado com muita atenção pela Prefeitura diz respeito aos números da pandemia, que refletem no aumento da mobilidade urbana. Isso porque a volta às aulas gera uma grande movimentação na cidade, principalmente no número de passageiros que utilizam o transporte público coletivo.

“Foi uma reunião importante, pois o retorno às aulas é fundamental, não apenas à aprendizagem das crianças, mas, sobretudo, à saúde mental e ao convívio social, que é tão importante para os jovens. É uma decisão responsável e corajosa do Comitê”, afirmou a gestora municipal.

Escolas municipais ainda não retornam
Apesar da liberação para retorno gradual das aulas presenciais, as escolas municipais ainda não vão retornar, pois muitas delas estão apresentando seus Planos de Contingência, recebendo as visitas da Vigilância Sanitária e fazendo algumas adaptações.
Além disso, o município segue discutindo esse retorno com as equipes diretivas, para definir o momento para isso.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome