Um orgulho para os pelotenses

Noite de Gala do Festival de Circo realizado no mês de junho (Foto: Odilson Silva)

Formado em Pelotas, Grupo Tholl segue em atividade com a adoção de medidas contra o coronavírus e espera comemorar os 20 anos do primeiro espetáculo em 2022

Um grupo circense formado em Pelotas que conquistou os palcos do Brasil. Este é o Grupo Tholl, que às vésperas de completar 20 anos de seu primeiro espetáculo montado continua em atividade, com treinamentos, seguindo protocolos sanitários contra o coronavírus com apresentações realizadas online.

“A coisa mais importante para um artista é o público, ele faz aquilo para o público. Mesmo sabendo que tem pessoas assistindo não é a mesma coisa, porque a plateia respira junto com o artista”, afirma o diretor e criador do Grupo Tholl, João Bachilli. Ele conta que o grupo vem se apresentando em espetáculos transmitidos pela internet e também no modelo Drive-In, em que os espectadores permanecem dentro dos veículos. Esse segundo modelo está sendo menos frequente para evitar o deslocamento do grupo, que conta com 86 integrantes, sendo 40 crianças.

O diretor salienta que as medidas de prevenção contra a Covid-19 são necessárias, e também estão presentes durante os treinamentos do grupo, que ocorrem de forma separada, com cinco integrantes se revezando em cada um dos dois palcos disponíveis no espaço em que atuam no momento, além da oferta de aulas online de treinamento e preparação física. “Estamos conseguindo levar aos poucos”, diz.

Álcool gel, máscaras, distanciamento e tapete higiênico também fazem parte das precauções seguidas pelo grupo. Todas as ações são realizadas cumprindo também os decretos vigentes. “Compactuamos com as regras e achamos muito necessário que se faça o uso de máscaras, o distanciamento. Somos a favor de tudo isso”, afirma o diretor. Os cuidados adotados podem ter resultado no fato de o grupo ter registrado somente um caso positivo para Covid-19 entre os integrantes, ainda no início da pandemia no município, em março de 2020, quando todos já estavam sem se reunirem há mais de 20 dias.

Ainda, o período serviu para a preparação de mais dois espetáculos, que aguardam por uma melhora na situação pandêmica para que os ensaios sejam iniciados.

Em 2022, também completam-se 20 anos do primeiro espetáculo montado, o “Tholl, Imagem e Sonho”. Assim, Bachilli lembra de alguns locais importantes para que o grupo pudesse efetuar os primeiros ensaios e se desenvolver, mesmo antes da formação da Oficina Permanente de Técnicas Circenses (OPTC), em 1987, como a Academia Estímulo, que pertencia a Berenice Fuhro Souto, e, em seguida, o Colégio Municipal Pelotense.

“Através dessas entidades é que fomos conseguindo formar esse grupo, porque eles nos deram um teto”, lembra o diretor, salientando a importância de um local para o desenvolvimento das atividades. Atualmente, o grupo utiliza um espaço cedido pela empresa Expresso Embaixador.

Bachilli também destaca a importância do público pelotense no desenvolvimento do grupo. “Ele foi sempre o grande patrocinador, porque ele sempre falou bem do grupo, ele sempre indicou o grupo”, destaca, lembrando também do apoio das gestões municipais na formação.

Um dos projetos interrompidos devido à pandemia e que deve ser retomado é a construção de uma sede própria, que serviria como um espaço para treinamentos e apresentações, além de poder ser alugado para outros eventos. “Seria um teatro próprio para apresentações do estilo que o Grupo Tholl faz”, finaliza o diretor.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome