Presidente da Câmara de Morro Redondo quer despertar a consciência política entre os jovens

Márcio Zanetti (DEM) fala sobre projetos para 2020 na Câmara (Foto: Divulgação)

Um projeto da Câmara de Vereadores, que teve sua execução adiada devido ao toque de recolher imposto pela pandemia de Covid-19, quer sensibilizar os jovens do município, os estudantes das escolas locais, a fim de despertar a consciência política e, quem sabe, estimular o surgimento de futuras lideranças políticas regionais. A ideia partiu do presidente da Casa, o vereador Márcio Ribeiro Zanetti (DEM). Em seu primeiro mandato como vereador e primeira legislatura como presidente, Zanetti explica que os cidadãos precisam de bons políticos e para que isso ocorra é preciso desenvolver o senso crítico e exercitar a verdadeira política. A atividade consistirá em visitas guiadas, aproximando a população da Casa, para que possam descobrir o que é e para que serve a Câmara de Vereadores. “A intenção é que a população se apodere da política, fomentando a consciência crítica entre as pessoas”, explica.

A princípio e tão logo a vida volte ao normal, a intenção é agendar visitas inicialmente para os estudantes das seis escolas locais, o que atingirá em torno de 700 alunos. Ele explica que a cidade possui uma escola estadual e as demais municipais, do primeiro ao nono ano. A visita irá obedecer um roteiro, onde mostrará aos alunos as rotinas de uma Câmara de Vereadores, explicando por exemplo o que é Plano Plurianual (PPA), entre outros.
Mesmo diante da pandemia, os trabalhos na Câmara não pararam, foi adotado horário reduzido, das 8h ao meio-dia, com rodízio de funcionários. “O presidente está presente todos os dias”, afirma.

As sessões são presenciais e realizadas normalmente, com a dispensa dos vereadores integrantes dos grupos de risco (com idade acima de 60 anos e comorbidades). “Nas sessões, respeitamos o distanciamento de 1,5 metro a dois metros e seguimos o protocolo de prevenção ao Covid-19”, diz Zanetti que destaca ainda, que a parcela restante do duodécimo foi colocada à disposição do Executivo para sanar demandas à população. “O recurso está à disposição da prefeitura para ser usado no que for necessário”, afirma.

O vereador salienta que a população local ainda tem o hábito em buscar por medicamentos e exames junto aos vereadores, o que além de não ser a função de um parlamentar são oferecidos gratuitamente pelo SUS. “Estamos pensando em criar um fundo social para este fim, para a realização por exemplo, de exames de urgência e que demorariam através do SUS”.

Além disso, a Câmara mantém uma relação de parceria com o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS). “A Câmara está sempre aberta a parcerias, entre elas com as universidades, pois a área de projetos precisa destes parceiros”, diz.

Entre outras demandas que chegam à Câmara, o presidente cita a necessidade de firmar um novo contrato com a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), que não está vigente atualmente. Além disso, ele cita ainda a necessidade de encontrar outro meio para a captação de água no município, mas para que isso ocorra, é necessário o contrato firmado.

Zanetti ressalta as inúmeras dificuldades enfrentadas atualmente pela população, entre elas o desemprego, o que se tornou ainda mais complicado devido às consequências da estiagem e pandemia. “Nós precisamos nos preocupar com a saúde das pessoas, mas também com a economia do município”, diz.

Uma cobrança recorrente aos políticos diz respeito à reabertura do abatedouro de aves da Cooperativa Sul Riograndense de Laticínios (Cosulati), fechado desde 2017 e que encerrou mais de 200 postos de trabalho diretos e pelo menos outros mil indiretos. Segundo Zanetti, houve várias empresas interessadas no arrendamento, inclusive uma da China, no entanto, isto é uma decisão que foge à alçada da Câmara. “Os políticos podem realizar as articulações, mas os trâmites finais dependem dos interessados”, finaliza.

Enviar comentário

Envie um comentário!
Digite o seu nome